Atuação do assistente social em instituições de serviço de acolhimento de criança e adolescente

  • Bruna Pires Mariano Tavares Centro Universitário Internacional Uninter
  • Brenda de Lima Lopes Belino Centro Universitário Internacional Uninter
  • Kelly Olinda Gallo Centro Universitário Internacional Uninter

Resumo

Este artigo aborda o princípio da questão social focado no acolhimento institucional, uma de suas expressões, a partir de levantamento histórico da atuação do assistente social e seu papel não fatalista. Deste modo, pretende-se demonstrar a importância do fenômeno do acolhimento para o serviço social nos espaços socio-ocupacionais em que ele ocorre, bem como sua influência sobre a atuação do assistente social.

Palavras-chave: questão social; acolhimento institucional; serviço social.

Abstract

This article addresses the principle of the social issue focused on institutional foster, one of its expressions, based on a historical survey of the performance of the social worker and its non-fatalistic role. Therefore, it is intended to demonstrate the importance of the phenomenon of care for social work in the socio-occupational spaces in which it occurs, as well as its influence on the performance of the social worker.

Keywords: social issue; institutional foster; social work.

Resumen

Este artículo trata el principio de la cuestión social centrado en la acogida institucional, una de sus expresiones, a partir de estudio histórico de la acción del trabajador social y su rol no fatalista. De esa manera, se pretende demostrar la importancia del fenómeno de la acogida para el trabajo social en espacios socio-ocupacionales en donde ella se realiza, así como su influencia sobre la acción del trabajador social.

Palabras-clave: cuestión social; acogida institucional; trabajo social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Pires Mariano Tavares, Centro Universitário Internacional Uninter

Graduanda em Serviço Social pelo Centro Universitário Internacional Uninter.

Brenda de Lima Lopes Belino, Centro Universitário Internacional Uninter

Graduanda em Serviço Social pelo Centro Universitário Internacional Uninter.

Kelly Olinda Gallo, Centro Universitário Internacional Uninter

Graduanda em Serviço Social pelo Centro Universitário Internacional Uninter.

Referências

ARIES, L. S. M. et al. Abrigos e desabrigados: construções e desconstruções de um estigma. Estudos e pesquisas em psicologia, Rio de Janeiro, ano 10, n. 2, p. 420-433, 2010. DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2010.8966.

BRASIL. Lei n.º 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, p. 13563, Brasília, DF, 13 jul. 1990.

CARDOSO, Ana Valeria Matias. Serviço de acolhimento institucional infanto-juvenil e trabalho do assistente social. In: JORNADA INTERNACIONAL POLÍTICAS PÚBLICAS, 8., 2017, São Luís. Anais [...]. São Luís: Universidade Federal do Maranhão, 22-25 ago. 2017. Disponível em: http://www.joinpp.ufma.br/jornadas/joinpp2017/pdfs/eixo14/servicodeacolhimentoinstitucionalinfantojuveniletrabalhodoassistentesocial.pdf. Acesso em: 10 nov. 2021.

CARVALHO, Márcia Helena de. O Serviço Social como trabalho: afirmação que ainda provoca debates no interior da profissão. In: SIMPÓSIO MINEIRO DE ASSISTENTES SOCIAIS, 4., 2016, Belo Horizonte. Anais [...]. Belo Horizonte, 2016.

CASTELO, Rodrigo. A “questão social” nas obras de Marx e Engels. Revista Praia Vermelha, Rio de Janeiro, v. 20, n. 1, p. 85-94, 2010. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/praiavermelha/issue/viewIssue/749/259. Acesso em: 10 nov. 2021.

CAVALCANTE, Beatriz da Silva; COUTO, Eduardo Luis. A atuação do serviço social no serviço de acolhimento da sociedade civil “lar dos meninos” de presidente prudente – SP. Seminário Integrado, Presidente Prudente, v. 11, n. 11, p. 1-18, 2019. Disponível em: http://intertemas.toledoprudente.edu.br/index.php/SemIntegrado/article/view/6748/6432. Acesso em: 10 nov. 2021.

CIRILO, Joziane Ferreira de. Ética profissional: desafios e possibilidades para a materialização da práxis do Serviço Social no cotidiano da Previdência Social. CRESSPR, 2010. Disponível em: www.cresspr.org.br/site/wp-content/uploads/2010/06/A_ETICA_PROFISSIONAL_DESAFIOS_POSSIBIL.pdf. Acesso em: 10 nov. 2021.

DEL PRIORE, Mary. História das crianças no Brasil. 7. ed. 1. reimpr. São Paulo: Contexto, 2013.

IAMAMOTO, Marilda Villela; CARVALHO, R. Relações sociais e serviço social no Brasil: esboço de uma interpretação histórico-metodológica. 41. ed. São Paulo: Cortez, 2014.

IAMAMOTO, Marilda Villela. Marxismo e Serviço Social: uma aproximação. Revista Libertas, Juiz de Fora, v. 18, n. 2, p. 204-226, 2018. DOI: https://doi.org/10.34019/1980-8518.2018.v18.18603.

LANDOLI, Rafael; PIMENTEL, Mateus. Estatuto da Criança e do Adolescente: um avanço legal a ser descoberto. Nexo, [S.l.], 2 abr. 2018. Explicado. Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/explicado/2018/04/02/Estatuto-da-Crian%C3%A7a-e-do-Adolescente-um-avan%C3%A7o-legal-a-ser-descoberto. Acesso em: 10 nov. 2021.

MARX, Karl Heinrich. O capital: crítica da economia política. 33. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014. v. 1.

MONTAÑO, Carlos. Um projeto para o serviço social crítico. Katálysis, Florianópolis, v. 9, n. 2, p. 141-157, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rk/a/HpHhC9qhR7nnrtptLDbvsyJ/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 10 nov. 2021.

PAES, Janiere Portela Leite. O Código de Menores e o Estatuto da Criança e do Adolescente: avanços e retrocessos. Conteúdo Jurídico, Brasília, 2013. Disponível em: https://www.conteudojuridico.com.br/consulta/Artigos/35183/o-codigo-de-menores-e-o-estatuto-da-crianca-e-do-adolescente-avancos-e-retrocessos. Acesso em: 10 nov. 2021.

PEREIRA, Tânia da Silva. Famílias possíveis: novos paradigmas na convivência familiar. In: PEREIRA, Rodrigo da Cunha (coord.). Afeto, Ética Família e o novo Código Civil. Belo Horizonte: Del Rey, 2004. p. 633-656.

PEREZ, José Roberto Rus; PASSONE, Eric Ferdinando. Políticas sociais de atendimento às crianças e aos adolescentes no Brasil. Cardernos de Pesquisa, São Paulo, v. 40, n. 140, p. 649-673, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-15742010000200017.

PIANA, Maria Cristina. O serviço social na contemporaneidade: demandas e respostas books. In: PIANA, M. C. A construção do perfil do assistente social no cenário educacional [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009. Disponível em: https://books.scielo.org/id/vwc8g/pdf/piana-9788579830389-04.pdf. Acesso em: 10 nov. 2021.

RAICHELIS, Raquel. O assistente social como trabalhador assalariado: desafios frente às violações de seus direitos. Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 107, p. 420-437, jul./set. 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-66282011000300003.

RIBEIRO, Paulo Rennes Marçal. História da saúde mental infantil: a criança brasileira da Colônia à República Velha. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 11, n. 1, p. 29-38, jan./abr. 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-73722006000100004.

RIZZINI, Irene et al. (coords.). Acolhimento crianças e adolescentes: experiência de promoção de direito à convivência familiar e comunitária no Brasil. São Paulo: Cortez; Brasília: UNICEF; CIESP; Rio de Janeiro: PUC-RIO, 2007.

SANTOS, C. M. A dimensão técnico-operativa e os instrumentos e técnicas no Serviço Social. Revista Conexão Geraes, Belo Horizonte, ano 2, v. 2, n. 3, 2º sem. 2013.

SILVA, Enid Rocha Andrade (coord.). O direito à convivência familiar e comunitária: os abrigos para crianças e adolescentes no Brasil. Brasília: IPEA/CONANDA, 2004.

TAVARES, Maria Augusta. Marx, marxismos e Serviço Social. R. Katál., Florianópolis, v. 16, n. 1, p. 09-11, jan./jun. 2013. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-49802013000100002.

VIEGAS, Simone Soares. a política de atendimento a crianças e adolescentes em abrigos de belo horizonte: história, organização e atores envolvidos. Belo Horizonte: PUC MINAS, 2007.

Publicado
2022-02-09
Seção
Artigos