Pegada de Carbono: uma análise bibliométrica

  • Sofia Negri Braz Pontifícia Universidade Católica de Campinas
  • Luiz Henrique Vieira da Silva Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Resumo

Resumo

A emissão de dióxido de carbono na atmosfera é determinante para alterações climáticas, pois esse componente químico é um dos responsáveis pelo efeito estufa. Diante disso, instrumentos foram criados com o intuito de diminuir as emissões de gás carbônico e, com isso, mitigar os danos causados pela ação antrópica aos ecossistemas. Uma dessas ferramentas é a chamada pegada de carbono, método que pode ser utilizado pelo poder público, empresas e sociedade civil para a melhoria da qualidade ambiental. Este artigo verifica, por meio da bibliometria, a produção científica em periódicos internacionais sobre o assunto, a partir da base de dados Web of Science. A presente análise evidenciou que o tema é cada vez mais estudado na academia, com o maior número de publicações nos Estados Unidos e China e, em menor escala, na Europa Ocidental e Austrália. O potencial brasileiro para desenvolver uma economia de baixo carbono é alto; contudo, são necessários mais estudos sobre a redução das emissões.

Palavras-chave: Poluição atmosférica. Gás carbônico. Estudo bibliométrico.

Abstract

The emissions of carbon dioxide into the atmosphere is a determining factor for climate change, as this chemical component is one of the factors responsible for the greenhouse effect. Therefore, instruments were created in order to reduce carbon dioxide emissions and, with this, mitigate the damage caused by anthropic action to ecosystems. One of these tools is called the carbon footprint, a method that can be used by the public authorities, companies, and civil society for the improvement of environmental quality. This article verifies, through bibliometrics, the scientific production in international journals on the subject, based on the Web of Science database. The present analysis showed that the theme is increasingly studied at the academy, with the largest number of publications in the United States and China and, to a lesser extent, in Western Europe and Australia. The Brazilian potential for developing a low carbon economy is high; however, further studies are needed on emission reduction.

Keywords: Atmospheric pollution. Carbon dioxide. Bibliometric study.

Resumen

La emisión de dióxido de carbono en la atmósfera es determinante en las alteraciones climáticas, una vez que ese componente químico es uno de los responsables por el efecto invernadero. Frente a eso, se crearon instrumentos para disminuir las emisiones de gas carbónico y, con ello, mitigar los daños causados por la acción antrópica sobre los ecosistemas. Una de esas herramientas es la llamada huella de carbono, método que puede ser usado por el poder público, empresas y sociedad civil para mejorar la calidad ambiental. Este artículo verifica, por medio de la bibliometría, la producción científica en periódicos internacionales sobre el tema, a partir de la base de datos Web of Science. El presente análisis puso en evidencia que el tema es cada vez más estudiado en la academia, con gran número de publicaciones en Estados Unidos y China y, en menor escala, en Europa Occidental y Australia. El potencial brasileño para desarrollar una economía de bajo carbono es grande; sin embargo, son necesarios más estudios sobre la reducción de las emisiones.

Palabras-clave: Contaminación atmosférica. Gas carbónico. Estudio bibliométrico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sofia Negri Braz, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Graduada em Ciências Biológicas (Licenciatura e Bacharelado) pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC (2016). Atualmente, é mestranda em Sustentabilidade na Pontifícia Universidade Católica de Campinas orientada pela Profa. Dra. Regina Marcia Longo. Realizou Iniciação Científica com bolsa PIBIC/CNPQ no Instituto Biológico de São Paulo (Secretaria da Agricultura) e foi bolsista PIBID/CAPES desenvolvendo projetos junto à PUC Campinas. Cursou disciplinas de Pós Graduação na Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC), na Faculdade de Tecnologia (FT) da UNICAMP e no Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) da USP. Além disso, cursou Paisagismo na Escola de Arte e Design de Campinas (ARQUITEC).
Luiz Henrique Vieira da Silva, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Mestrando em Sustentabilidade pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), na linha de pesquisa Ciência, Sociedade, Políticas Públicas e Sustentabilidade. Atua como pesquisador bolsista CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), Modalidade I, compõe o grupo de pesquisa "Gestão Estratégica e Sustentabilidade", o Laboratório "Social Dimensions of the Global Environmental Changes in the Global South" (LABGEC), o Conselho do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Sustentabilidade da PUC-Campinas e a Comissão de Autoavaliação do PPGS da PUC-Campinas. Bacharel em Gestão de Políticas Públicas pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP). Cursou créditos como estudante especial no Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Estadual de Campinas (FCA-Unicamp) e no Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Sociedade da Universidade Estadual de Campinas (IFCH-Unicamp).

Referências

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. Novo selo ambiental indicará a pegada de carbono e água de produtos. 2016. Disponível em: http://www.abnt.org.br/imprensa/releases/4632-novo-selo-ambiental-indicara-a-pegada-de-carbono-e-agua-de-produtos. Acesso em: 09 out. 2019.

BRAGA, A. L.; PEREIRA, L. A. A.; SALDIVA, P. H. do N. Poluição Atmosférica e seus Efeitos na Saúde Humana. In: SUSTENTABILIDADE NA GERAÇÃO E USO DE ENERGIA NO BRASIL: OS PRÓXIMOS VINTE ANOS, 1., 2002. Anais [...]. Campinas: UNICAMP, 2002. Disponível em: http://libdigi.unicamp.br/document/?view=1039. Acesso em: 13 out. 2019.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Inter-relações entre biodiversidade e mudanças climáticas. Brasília: MMA, 2007. 206 p.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Qualidade do ar. 2019. Disponível em: www.mma.gov.br. Acesso em: 07 mar. 2020.

CANCELLI, D. M.; DIAS, N. L. BRevê: Uma metodologia objetiva de cálculo de emissões para a frota brasileira de veículos. Revista Engenharia Sanitária e Ambiental, Curitiba, n. esp., p. 13-20, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/esa/v19nspe/1413-4152-esa-19-spe-0013.pdf. Acesso em: 01 nov. 2019.

CARSON, R. Primavera silenciosa. 2. ed. Tradução: Raul de Polillo. São Paulo: Melhoramentos, 1969.

CAVALCANTI, C. Concepções da economia ecológica: Suas relações com a economia dominante e a economia ambiental. Estudos Avançados, São Paulo, v. 24, n. 68, p. 53-67, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010340142010000100007&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 09 out. 2019.

CEBRAP. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais - Bloco Quantitativo. São Paulo: Sesc-CEBRAP, 2016. Disponível em: http://bibliotecavirtual.cebrap.org.br/arquivos/2017_E-BOOK%20Sesc-Cebrap_%20Metodos%20e%20tecnicas%20em%20CS%20-%20Bloco%20Quantitativo.pdf. Acesso em: 31 mar. 2020.

CHUEKE, G. V.; AMATUCCI, M. O que é bibliometria? Uma introdução ao Fórum. Internext, São Paulo, v. 10, n. 2, p. 1-5, maio/ago. 2015. DOI: dx.doi.org/10.18568/1980-48651021-52015.

COSTA, A. P.; CUNHA, P. B.; SILVA, G. G.; RODRIGUES, F. S.; BARBOSA, P. B. Sensibilização da população de usuários do transporte coletivo de Uberlândia, Minas Gerais, para a percepção dos impactos e riscos gerados pelas emissões veiculares. Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, São Paulo, v.11, n. 20, p. 45-52, jun./2015.

DANNI-OLIVEIRA, I. M. A cidade de Curitiba/PR e a poluição do ar: Implicações de seus atributos urbanos e geoecológicos na dispersão de poluentes em período de inverno. 1999. Tese (Doutorado em Geografia Física) – Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000. Disponível em: http://observatoriogeograficoamericalatina.org.mx/egal8/Procesosambientales/Ecologia/08.pdf. Acesso em: 20 out. 2019.

DERÍSIO, José Carlos. Introdução ao controle de poluição ambiental. 5. ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2017.

DZEMBATYI, R. G.; RAMOS, L. L. V. Análise da pegada de carbono dos alunos de engenharia de produção da UTFPR. 2019. 88 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia de Produção) – Universidade Tecnológica do Paraná, Ponta Grossa, 2019. Disponível em: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/12221/1/PG_DAENP_2019_1_16.pdf. Acesso em: 01 nov. 2019.

ERÍSIO, J. C. Introdução ao controle de poluição ambiental. 5. ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2017.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

IAP - Instituto Ambiental do Paraná. Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Fontes de Poluição Atmosférica. 2019. Disponível em: http://www.iap.pr.gov.br/pagina-1415.html. Acesso em: 26 out. 2019.

INSTITUTO AKATU. Pegada de Carbono. 2020. Disponível em: https://www.akatu.org.br/dicas/pegada-de-carbono/. Acesso em: 16 dez. 2020.

KLUMPP, A.; ANSEL, WOLFGANG.; KLUMPP, G.; FOMIN, A. Um novo conceito de monitoramento e comunicação ambiental: A rede européia para a avaliação da qualidade do ar usando plantas Bioindicadoras (EuroBionet). Revista Brasil. Bot., São Paulo, v. 24, n. 4, p. 511-518, 2001. Suplemento. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/%0D/rbb/v24n4s0/9472.pdf. Acesso em: 07 maio 2020.

KOCH, N. M. Efeitos da poluição atmosférica como fator de estresse ambiental na estrutura e na funcionalidade das comunidades de liquens. 2016. Tese (Doutorado em Ecologia) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/143740. Acesso em: 08 maio 2020.

MAY, P. H. Economia ou economia política da sustentabilidade. In: MAY, P. H. Economia do meio ambiente: teoria e prática. Rio de Janeiro: Elsevier, 2018.

MEADOWS, D. H. et al. Limites do crescimento: Um relatório para o Projeto do Clube de Roma sobre o Dilema da Humanidade. Tradução de I. M. F. Litto. São Paulo: Perspectiva, 1973.

ONU- Organização das Nações Unidas Brasil. Momento de ação global para as pessoas e o planeta. 2015. Disponível em: https://nacoesunidas.org/pos2015/. Acesso em: 04 abr. 2020.

QUEVEDO-SILVA, F.; SANTOS, E. B. S.; BRANDÃO, M. M.; VILS, L. Estudo bibliométrico: Orientações sobre sua aplicação [Bibliometric study: Guidelines on its application]. Revista Brasileira de Marketing: REMARK, v. 15, n. 2, p. 246-262, 2016. DOI: doi:10.5585/remark.v15i2.3274.

RADU, A. L.; SCRIECIU, M. A.; CARACOTA, D. M. Carbon footprint analysis: towards a projects evaluation model for promoting sustainable development. Procedia Economics and Finance, v. 6, p. 353-363, 2013. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2212567113001494. Acesso em: 01 nov. 2019.

ROMEIRO, A. Economia ou economia política da sustentabilidade? Texto para discussão. IE/UNICAMP, n. 102, p. 1-28, set. 2001.

SACHS, I. Desenvolvimento includente, sustentável, sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

SAES, B. M.; MIYAMOTO, B. C. B. Limites Físicos do Crescimento Econômico e Progresso Tecnológico: O debate The Limits to Growth versus Sussex. Desenvolvimento & Meio ambiente, v. 26, p. 51-68, Jul./Dez. 2012.

SYROVÁTKA, M. On sustainability interpretations of the Ecological Footprint. Ecological Economics, v. 169, Mar. 2020. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ecolecon.2019.106543.

WHO - World Health Organization. Health risks of air pollution in Europe – HRAPIE project. Recommendations for concentration-response functions for costbenefit analysis of particulate matter, ozone and nitrogen dioxide. 2013. Disponível em: http://www.euro.who.int/__data/assets/pdf_file/0006/238956/Health_risks_air_pollution_HRAPIE_project.pdf. Acesso em: 14 nov. 2019.

Publicado
2021-01-06
Seção
Artigos