Análise integrada do comprometimento da mata ciliar no alto curso do Rio Catu, Horizonte - Ceará

  • André Leone Facundo Centro universitário Internacional UNINTER UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ-UECE

Resumo

Resumo

A mata ciliar é uma unidade ambiental de fundamental importância na proteção e preservação das planícies fluviais. As matas ciliares estão presentes nas margens dos leitos dos rios, porém, esses sistemas ambientais são fortemente degradados e comprometidos em decorrência do processo de produção, uso e ocupação do espaço. Nesta pesquisa, foi escolhido o alto curso da planície fluvial do rio Catu, no município de Horizonte, estado do Ceará, para caracterizar — através de uma análise integrada da paisagem — as transformações geradas pelo comprometimento da vegetação ciliar no alto curso do rio. Realizou-se levantamento bibliográfico, reconhecimento geográfico da área e trabalho de campo a partir do método de Análise Integrada da Paisagem, de Souza (2000). Observou-se que a mata ciliar do rio Catu passa por intenso processo de degradação e comprometimento em decorrência, principalmente, da urbanização e da industrialização ao longo da planície fluvial.

Palavras-chave: Impactos ambientais. Mata ciliar. Paisagem. Planície fluvial. Sistemas ambientais.

Abstract

A riparian forest is an environmental unit that has a fundamental importance in protecting and preserving the river plains. Riparian forests are present on the banks of riverbeds; however, these environmental systems are severely degraded and compromised due to the process of production, use, and occupation of space. In this research, the upper course of the fluvial plain of the Catu river was chosen, in the municipality of Horizonte, state of Ceará, to characterize — through an integrated analysis of the landscape — the transformations generated by the compromise of the riparian vegetation in the upper course of the river. Bibliographic surveys, geographical recognition of the area, and fieldwork were carried out using the Integrated Landscape Analysis method by Souza (2000). It was observed that the riparian forest of the Catu river goes through an intense process of degradation and compromise due mainly to urbanization and industrialization along the river plain.

Keywords: Environmental impacts. Riparian forest. Landscape. River plain. Environmental systems.

Resumen

La vegetación riparia es una unidad ambiental de importancia fundamental en la protección y preservación de las llanuras fluviales. Los bosques en galería están presentes en los márgenes de los ríos, sin embargo, esos sistemas ambientales son fuertemente degradados y puestos en situación de riesgo en consecuencia del proceso de producción, uso y ocupación del espacio. Para esta investigación, se escogió el alto curso de la llanura fluvial del río Catú, en el municipio Horizonte, estado de Ceará, para caracterizar — por medio de análisis integrado del paisaje — los cambios generados por el deterioro de la vegetación riparia en el alto curso del río. Se realizó una revisión bibliográfica, el reconocimiento geográfico del área y trabajo de campo con el uso del método de Análisis Integrado de Paisaje, de Sousa (2000). Se pudo observar que la vegetación riparia del río Catú pasa por intenso proceso de degradación y riesgo, causado, principalmente, por la urbanización e industrialización a lo largo de la llanura fluvial.

Palabras-clave: Impactos ambientales. Vegetación riparia. Paisaje. Llanura fluvial. Sistemas ambientales.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Leone Facundo, Centro universitário Internacional UNINTER UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ-UECE

Graduado em Licenciatura em Geografia  pelo Centro Universitário Internacional UNINTER.

Especialista em Ensino de Geografia  e Meio Ambiente pela Faculdade Venda Nova do Imigrante-FAVENI

Estudante de graduação em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará- UECE. 

Estudos voltadas para Geografia Ambiental ,Biogeografia e Ensino de Geografia. 

Desenvolvendo pesquisas sobre desertificação no semiárido cearense e unidades fitogeograficas do Ceará

Referências

ALBUQUERQUE, E. L. S. Análise geoambiental como subsídio ao ordenamento territorial do município de Horizonte – Ceará. 131 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2012. Disponível em : http://www.uece.br/mag/dmdocuments/emanuel_lindemberg_silva_albuquerque.pdf. Acesso em: 01 mar. 2020.

BERTÉ, R. Gestão socioambiental no Brasil: uma visão ecocêntrica. Curitiba: InterSaberes, 2013.

BERTRAND, G. Paysage et géographie physique globale: esquisse méthodologique. Revue géographique des Pyrénées et sud-ouest, Toulouse, v. 39, fasc. 3, p. 249-272, 1968.

BERTRAND. G. Paisagem e geografia física global: esboço metodológico. Caderno de Ciências da Terra, São Paulo, n. 13, p. 1-27, 1972.

BRASIL. Lei n. 12651, de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nºs 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nºs 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória nº 2.166-67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Brasília: Presidência da República, 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm. Acesso em: 20 mar. 2020.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Resolução Conama n. 001, de 23 de dezembro de 1986. Diário Oficial da União. Brasília: Poder Executivo, 17 fev. 1986. Disponível em: http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res86/res0186.html. Acesso em: 04 abr. 2020.

CEARÁ. Secretaria dos Recursos Hídricos. Recomposição da mata ciliar e reflorestamento no semiárido do Ceará / João Bosco de Oliveira, Josualdo Justino Alves, Francisco Mavignier Cavalcante França. Fortaleza: Secretaria dos Recursos Hídricos, 2010.

CORRÊA, R.L. O espaço urbano. São Paulo: Ática, 2006.

FALCÃO SOBRINHO, J. Relevo e paisagem. Sobral: Edições Sobral, 2007.

FIGUEIREDO, M.A. A cobertura vegetal do Estado do Ceará (unidades fitoecológicas). In: Governo do Ceará (org.). Atlas do Ceará. Fortaleza: Edições IPLANCE, 1997. v. 1, p. 28-29.

GUERRA, Maria Daniely Freire; SOUZA, Marcos José Nogueira de; LUSTOSA, Jacqueline Pires Gonçalves. Revisitando a teoria geossistêmica de Bertrand no século XXI: aportes para o GTP (?). Geografia em Questão, Marechal Cândido Rondon-PR, v. 5, n. 2, 2012.

IBGE-Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades e Estados. 2010. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/ce/horizonte.html. Acesso em: 03 mai. 2020.

KAGEYAMA, P. Y.; GANDARA, F. B.; OLIVEIRA, R. E.; MORAES, L. F. D. de. Restauração da mata ciliar - Manual para recuperação de áreas ciliares e microbacias. Rio de Janeiro: Semads, 2001.

MARIANO. K. R. S. et al. Levantamento florístico e fitossociológico de um fragmento de mata ciliar no município de Juazeiro, Bahia, Brazil. In: CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE ECOLOGIA, 3, São Lourenço, MG. Anais [...]. São Lourenço-MG, Sociedade Ecológica do Brasil, 2009. Disponível em: http://www.seb-ecologia.org.br/2009/resumos_clae/435.pdf. Acesso em: 5 abr. 2020.

MORO, M. F. et al. Vegetação, unidades fitoecológicas e diversidade paisagística do estado do Ceará. Rodriguésia, Rio de Janeiro, v. 66, n. 3, p. 717-743, 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.6084/m9.figshare.1289930. Acesso em: 28 mar. 2020.

OLIVEIRA L. C. de; PEREIRA R.; VIEIRA J. R. G. Análise da degradação ambiental da mata ciliar em um trecho do rio Maxaranguape – RN: uma contribuição à gestão dos recursos hídricos do Rio Grande do Norte – Brasil. Holos, Natal, ano 27, v. 5, 2011. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/595. Acesso em: 15 mar. 2020.

OLIVEIRA, F. F. P; SOUSA, M. A.; SOARES, L. P; LIMA, E. C. Levantamento e análise dos sistemas ambientais da bacia hidrográfica do rio Aracati Mirim Itarema -CE. Revista GeoUECE, Fortaleza, v. 8, p. 251-265, 2019.

SOTCHAVA, V. B. O estudo de geossistemas. Métodos em questão. São Paulo: ed. IG - USP, 1977.

SILVA, J. M. O. Análise integrada na bacia hidrográfica do rio Pirangi-CE: subsídios para o planejamento ambiental. 2012. 188 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2012.

SOUZA, M. J. N.; NETO, J. M; SANTOS, J. O.; GONDIM, M. S. Diagnóstico geoambiental do município de Fortaleza: subsídios ao macrozoneamento ambiental e à revisão do Plano Diretor Participativo – PDPFor. Fortaleza: Prefeitura de Fortaleza, 2009. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reget/article/view/15245. Acesso em 15 abr. 2020.

SOUZA, M. J. N. de. Bases naturais e esboço o zoneamento geoambiental do Estado do Ceará. In: LIMA, L. C., SOUZA, M. J. N. de, MORAIS, J. O. de. Compartimentação territorial e gestão regional do Ceará. Fortaleza: Funece 2000.

TRICART, J. Ecodinâmica. Rio de Janeiro: IBGE/SUPREN, 1977. 91 p.

VILELA, E A. et al. Caracterização estrutural da floresta ripária do Alto Rio Grande, em Madre de Deus de Minas MG. Cerne, Lavras – MG, v. 6, n. 2, p. 41-54, 2000.

FERNANDES, A. Fitogeografia brasileira. 3. ed. Fortaleza: Realce, 2006, 202 p.

WARNAVIM, L.; ARAÚJO, W.M. de. Estudos das transformações do relevo e da paisagem. Curitiba: InterSaberes, 2016.

Publicado
2021-01-06
Seção
Artigos