APLICAÇÃO LABORATORIAL DO βhCG COMO MARCADOR TUMORAL PARA DIAGNÓSTICO DO CÂNCER

  • Gabriela Campos
  • Isabela Maria F. Feldhaus
  • Larissa Gequelin dos Santos
  • Lorraynne de Willian's Caillet de Oliveira de Souza

Resumo

O objetivo desse estudo é a aplicabilidade do hormônio βhCG (gonadotrofina coriônica humana fração beta) na função de marcador tumoral no diagnóstico de neoplasias. Marcadores tumorais são substâncias encontradas normalmente no sangue ou na urina, utilizados para pesquisar e diagnosticar neoplasia e alterações genéticas, sendo associados a outros exames para confirmação do diagnóstico. Uma importante característica associada a marcadores tumorais é que sua detecção está relacionada com a formação ou crescimentos de células neoplásicas, é utilizado no tratamento de câncer principalmente relacionado ao tempo de meia vida, a fim de reconhecer a eficácia do mesmo. Mesmo que tenha um importante papel no diagnóstico, tratamento e monitoração de pacientes neoplásicos, ainda não existe um marcador tumoral que seja ideal, que seja específico e sensível ao mesmo tempo e que apresente níveis que sejam proporcionais ao tamanho do tumor. A utilização de marcadores tumorais juntamente com a ultrassonografia transvaginal é utilizada para o diagnóstico de tumores no ovário pois pode ocorrer positivação do teste no soro da paciente, lavado peritoneal e no liquido intracístico de tumores benignos ou malignos. Os resultados falsos positivos podem ocorrer na determinação do hCG devido a uma reação cruzada com o hormônio luteinizantes, por neutralização inadequada ou não neutralização, esses resultados falsos podem ser identificados de forma quantitativa e na relação de análise de soro e urina utilizados no mesmo método. No caso de um resultado positivo fidedigno, a classificação é feita por três categorias: tumor de células ativo, tumor de células germinativas quiescente e aumento inexplicado da hCG. O estudo teve por base mostrar a significância do uso dos marcadores tumorais para detecção de neoplasias, especificamente o hormônio βhCG; apesar desse marcador apresentar importante significado clínico em relação a diagnóstico, monitoramento a resposta ao tratamento e detecção precoce de recidiva, é difícil definir o valor normal hCG, pois existem diferentes formas de identificar esse marcador, cada um tem seu parâmetro, e mesmo que muito sensível não significa que se detectado em doses elevadas irá significar especificamente uma neoplasia.

 

Palavras chave: Neoplasia, marcadores tumorais, βhCG, diagnóstico.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-05-06
Seção
Editorial