Benefícios da atividade física à saúde e qualidade de vida do idoso

  • Ducicléia Pereira de Andrade
  • Rafael Luciano de Mello

Resumo

A qualidade de vida resulta do estilo de vida individual. Este requer exercícios físicos regulares nos diferentes ciclos da vida para que se tenha longevidade e envelhecimento saudável. Importa compreender como a atividade física contribui com a saúde, o estilo de vida e as atividades rotineiras dos idosos. Portanto, o objetivo deste estudo é identificar benefícios da atividade física para prevenção de doenças, manutenção da saúde e qualidade de vida de idosos. Em vista disso, aborda-se o processo de envelhecimento, verificam-se os efeitos da atividade física na saúde e sua relevância para as tarefas cotidianas dos idosos através de revisão bibliográfica exploratória empreendida em 2021, por meio das bases de dados BIREME, LILACS e SciELO, a fim de destacar os conceitos e análises sobre o tema proposto. Observou-se que a adoção de hábitos saudáveis entre idosos, como exercícios regulares, previne ou ameniza doenças comuns nesta fase da vida.  

Palavras-chave: atividade física; idosos; qualidade de vida.

Abstract

Quality of life results from the individual's lifestyle. This requires regular physical exercise in the different life cycles for longevity and healthy aging. It is important to understand how physical activity contributes to the health, lifestyle, and routine activities of the elderly. Therefore, this study aims to identify physical activity benefits for disease prevention, health maintenance, and quality of life in the elderly. Thus, the aging process is addressed, the effects of physical activity on health and its relevance to the daily tasks of the elderly are verified through an exploratory literature review undertaken in 2021, through the BIREME, LILACS, and SciELO databases, to highlight the concepts and analyses on the proposed theme. It was observed that the adoption of healthy habits among the elderly, such as regular exercise, prevents or alleviates common diseases in this phase of life. 

Keywords: physical activity; elderly; quality of life.

Resumen

La calidad de vida resulta del estilo de vida individual. Este requiere de ejercicios físicos regulares en los diferentes ciclos de la vida para que se logre longevidad y envejecimiento saludable. Es importante comprender cómo la actividad física contribuye para la salud, el estilo de vida y las actividades de rutina de las personas mayores. El objetivo de este estudio es identificar los beneficios de la actividad física para la prevención de enfermedades, preservación de la salud y calidad de vida de personas mayores. En virtud de ello, se trata el proceso de envejecimiento, se verifican los efectos de la actividad física sobre la la salud y su relevancia en las tareas cotidianas de los adultos mayores, por medio de revisión bibliográfica exploratoria, realizada en 2021, en las bases de datos BIREME, LILACS y SciELO, con el fin de destacar conceptos y análisis sobre el tema propuesto. Se pudo observar que la adopción de hábitos saludables entre personas mayores, como ejercicios regulares, previene o atenúa enfermedades comunes en esa fase de la vida.

Palabras-clave: actividad física; personas mayores; calidad de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ducicléia Pereira de Andrade

Graduanda no curso de Bacharelado em Educação Física – UNINTER.

Rafael Luciano de Mello,

Professor dos cursos de Bacharelado e Licenciatura em Educação Física – UNINTER.

Referências

ADES, Philip et al. Weight Training Improves Walking Endurance in Healthy Elderly Persons. Ann. Intern. Med., [S.l.], v. 124, n. 6, p. 568-72, 15 mar. 1996.

BINDER, E. F. et al. Effects of progressive resistance training on body composition in frail older adults: results of a randomized, controlled trial. J. Gerontol. A. Biol. Sci. Med. Sci., [S.l.], v. 60, n. 11, p. 1425-31, nov. 2005.

CAETANO, L. M. O Idoso e a Atividade Física. Horizonte: Revista de Educação Física e Desporto, Lisboa, v. 11, n. 124, p. 20-28, 2006.

COIMBRA, D. D.; URIBE, N. C.; OLIVEIRA, B. S. “Quadralização facial” no processo do envelhecimento. Surg. Cosmet. Dermatol., Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 65-71, 2014.

DALLARI, M. M. Corrida de rua, um fenômeno sociocultural contemporâneo. 2009. Tese (Doutor em Educação) — Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

DAVINI, R.; NUNES, C. V. Alterações no sistema neuromuscular decorrentes do envelhecimento e o papel do exercício físico na manutenção da força muscular em indivíduos idosos. Rev. bras. Fisioter., São Carlos, v. 7, n. 3, 2003.

DERESZ, L. F. et al. O estresse oxidativo e o exercício físico em indivíduos HIV positivo. Rev Bras Med Esporte, São Paulo, v. 13, n. 4, 249e-252e, ago. 2007.

ERMIDA, J. Saúde e Exercício Físico. Coimbra: Quarteto, 2000.

FAHLMAN, M. M. et al. Effects of endurance training and resistance training on plasma lipoprotein profiles in elderly women. J. Gerontol. A. Biol. Sci. Med. Sci., [S.l.], v. 57, n. 2, p. B54-B60, 2012.

FERREIRA, J.; JÚNIOR, M. P.; NUNES, P. R. S. Musculação na terceira idade: em busca da autonomia nas atividades diárias. 2015. Artigo — Faculdade de Vinhedo, São Paulo, 2015.

FERREIRA, M. T. O papel da atividade física na composição corporal de idosos. Revista brasileira de ciências da saúde, João Pessoa, v. 1, n. 1, p. 43-52, 2003.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

HUNTER, G. R.; MCCARTHY, J. P.; BAMMAN, M. M. Effects of resistance training on older adults . Sports Med., [S.l.], v. 34, n. 5, p. 329-48, 2004.

IBGE. Censo demográfico. Fundação IBGR. Informações estatísticas e geocientificas. 2002.

JACKSON, A. W. et al. Physical Activity for Health and Fitness: an individualized lifetime approach. Champaign: Human Kinetics, 1999.

MANSON J. et al. A Prospective Study of Walking as Compared with Vigorous Exercise in the Prevention of Coronary Heart Disease in Women. N. Engl. J. Med., [S.l.], v. 341, p. 650-658, 1999.

MATSUDO, S. M.; MATSUDO, V. K. R.; BARROS NETO, T. L. Efeitos da Atividade Física na Aptidão Física e Mental Durante o Processo de Envelhecimento. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, Londrina, v. 5, n. 2, p. 60-80, 2016.

MAZINI, M. L. F. et al. Efeito de atividades físicas combinadas na autonomia funcional, índice de massa corporal e pressão arterial de mulheres idosas. Revista Geriatria & Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 4, n. 2, p. 69-75, ago. 2010.

MCARDLE, W. D.; KATCH, F. I.; KATCH, V. L. Fisiologia do exercício: energia, nutrição e desempenho humano. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 2013.

NIEMAN, D. C. Exercício e saúde: como se prevenir de doenças usando o exercício como seu medicamento. São Paulo: Manole, 1999.

OKUMA, S. S. Idoso e atividade Física. Campinas: Papirus, 2008. (Viva Idade).

ORY, M. G.; COX, D. M. Forging ahead: Linking health and behavior to improve quality of life in older people. Soc. Indic. Res., [S.l.], n. 33, p. 89-120, 1994. DOI: https://doi.org/10.1007/BF01078959

RICHARDSON, R. J. Pesquisa Social: Métodos e Técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SANTANA, H. B.; SENA, K. L. O Idoso e a representação de si: a novidade na agenda social contemporânea: inclusão do cidadão de mais idade. A Terceira Idade, São Paulo, v. 14, n. 28, set. 2003.

STELLA, F. et al. Depressão no Idoso: Diagnóstico, Tratamento e Benefícios da Atividade Física. Motriz, Rio Claro, v. 8, n. 3, p. 91-98, 2002.

VERAS, R. Envelhecimento populacional contemporâneo: demandas, desafios e inovações. Rev Saúde Pública, São Paulo, v. 43, n. 3, p. 1-7, 2009.

WARE, J. E. Standards for validating health measures: definition and content. J. Chronic. Dis., [S.l.], v. 40, n. 6, p. 473-80, 1987.

WALLACK, E. M.; WISEMAN, H. D.; PLOUGHMAN, M. Healthy aging from the perspectives of 683 older people with multiple sclerosis. Mult. Scler. Int., [S.l.], 2016.

Publicado
2022-03-10