Disgrafia e suas implicações no processo educativo

  • Verônica Aparecida Olympio Dantas Centro Universitário Internacional - UNINTER

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo analisar o transtorno da disgrafia e suas implicações no processo educativo. A pesquisa pretende identificar as causas e os fatores que podem interferir na qualidade da caligrafia e o que isso implica para o aprendente. A disgrafia é uma dificuldade escolar significativa, pois afeta muitas crianças que estão no processo de alfabetização ou em séries iniciais. A abordagem metodológica utilizada neste estudo baseou-se em levantamentos bibliográficos e referenciais teóricos. Faz-se necessário entender o processo histórico da escrita, explicar sua aquisição, compreender e diagnosticar essa dificuldade, a fim de solucionar ou minimizar o problema. Dessa forma é imprescindível, enquanto profissionais, estarmos preparados para garantir a inclusão e um desempenho escolar satisfatório, para possibilitar uma aprendizagem significativa. 

Palavras-chave: disgrafia; escrita; caligrafia; aprendizagem; psicopedagógico. 

Abstract 

The present study aims to analyze dysgraphia disorder and its implications in the educational process. The research aims to identify the causes and factors that can interfere with the quality of handwriting and what this implies for the learner. Dysgraphia is a significant school difficulty, as it affects many children who are in the literacy process or in early grades. The methodological approach used in this study was based on bibliographic surveys and theoretical references. It is necessary to understand the historical process of writing, explain its acquisition, and understand and diagnose this difficulty to solve or minimize the problem. Thus, it is essential, as professionals, to be prepared to ensure inclusion and satisfactory school performance, to enable meaningful learning. 

Keywords: dysgraphia; writing; handwriting; learning; psychopedagogical. 

Resumen 

El presente trabajo tiene como objetivo analizar el trastorno de la disgrafía y sus implicaciones en el proceso educativo. La investigación pretende identificar las causas y los factores que pueden interferir en la calidad de la caligrafía y lo que ello implica para quien aprende. La disgrafia es una dificultad escolar significativa, pues afecta a muchos niños en proceso de alfabetización o en series iniciales. El enfoque metodológico utilizado en este estudio se basa en revisión bibliográfica y referencias teóricas. Se hace necesario entender el proceso histórico de la escritura, explicar su adquisición, comprender y diagnosticar esa dificultad, con el fin de solucionar o minimizar el problema. De esa forma, es imprescindible, en tanto profesionales, estar preparados para garantizar la inclusión y un desempeño escolar satisfactorio, para que se produzca un aprendizaje significativo. 

Palabras-clave: disgrafía; escritura; caligrafía; aprendizaje; psicopedagógico. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AJURIAGUERRA, Julian de. A escrita infantil: evolução e dificuldades. Tradução de Iria Maria R. de Castro Silva. Porto Alegre: Artes Médicas, 1988.

ALMEIDA, Fernando José. Paulo Freire desenvolveu novo conceito de leitura e escrita. Folha Online, São Paulo, 27 out. 2009. Educação. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/educacao/2009/10/643944-paulo-freire-desenvolveu-novo-conceito-de-leitura-e-escrita-leia-trecho.shtml. Acesso em: 9 fev. 2011.

BESSA, Valéria da Hora. Teorias da aprendizagem. Curitiba: IESDE Brasil, 2008.

CIASCA, Sylvia Maria. Distúrbios e dificuldades de aprendizagem em crianças: análise do diagnóstico interdisciplinar. 1994. 207 f. Tese (Doutorado em Neurociências) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1994.

CIASCA, Sylvia Maria. Distúrbios específicos de aprendizagem. In: CIASCA, Sylvia Maria (org.) Distúrbio de aprendizagem: proposta de avaliação interdisciplinar. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.

CIASCA, S. M. Disgrafia. In: MONTIEL, J. M: CAPOVILLA, F. C. (org.). Atualização em transtornos de aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 2009.

COELHO, Diana Tereso. Dislexia, disgrafia, disortografia e discalculia. Porto - Portugal: Areal Editores, 2012.

CAMARGO, Maria José Gugelmin. Disgrafia motriz. Alfabetizando, Rio Claro – SP, 28 mar. 2009. Disponível em: http://reginapironatto.blogspot.com/2009/03/disgrafia-motriz.html. Acesso em: 9 fev. 2011.

CINEL, Bocaccio Nora Cecília. Disgrafia: prováveis causas dos distúrbios e estratégias para a correção da escrita. Revista do Professor, Porto Alegre, v. 19, n. 74, p. 19-25, 2003.

CORREIA, Luís de Miranda. Dificuldades de aprendizagem específicas. Contributos para uma definição portuguesa. Porto: Porto Editora, 2008. (Coleção Impacto Educacional).

CONDEMARIN, Mabel. Dislexia: manual de leitura corretiva. Tradução de Ana Maria Netto Machado. Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.

CRUZ, Vítor. Dificuldades de aprendizagem específicas. Lisboa: LIDEL Edições Técnicas, 2009.

FONSECA, Vítor da. Introdução a dificuldades de aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

GARCÍA, Jesus Nicasio. Manual de dificuldades de aprendizagem. Linguagem, leitura e matemática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

GRIZ, Maria das Graças Sobral. Psicopedagogia: um conhecimento em contínuo processo de construção. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2009.

GÓMEZ, Ana Maria Salgado; TERÁN, Nora Espinosa. Dificuldades de aprendizagem: detecção e estratégias de ajuda. São Paulo: Cultural, 2009.

GUILLARMÉ, Jean-Jacques. Educação e reeducação psicomotoras. Traduzido por Arlene Caetano. Porto Alegre: Artes Médicas, 1983.

MONTEIRO, Vanessa Ascenção. A psicomotricidade nas aulas de Educação Física escolar: uma ferramenta de auxílio na aprendizagem. Revista digital efdeportes.com, Buenos Aires, ano 12, n. 114, nov. 2007.

OLIVEIRA, Gislene de Campos. Psicomotricidade: um estudo em escolares com dificuldades em leitura e escrita. 1992. 371 f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas - SP, Campinas, 1992.

OLIVEIRA, Patrícia de. As práticas de letramento da família e as dificuldades de aprendizagem: perspectivas para o debate. 2011. 93 f. Dissertação (Mestrado em Educação Especial) - Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos - SP, 2011.

RODRIGUES, S.D. Disgrafia: aspectos psicopedagógicos. In: MONTIEL; José M.; CAPOVILLA, Fernando C. (org.). Atualização em transtornos de aprendizagem. São Paulo: Editora Artes Médicas, 2009. p. 207-220.

SAMPAIO, Simaia. Disgrafia. Psicopedagogia Brasil. 10 out. 2010. Disponível em: https://www.psicopedagogiabrasil.com.br/em-branco-c11mv. Acesso em: 09 fev. 2011.

SILVA, Marta Conceição da. Dislexia. Trabalhando as diferenças na escola. 2008. 64 f. Monografia (Especialização em Psicopedagogia) – Universidade Cândido Mendes, Alto Paraíso de Goiás, 2008.

SILVA, Daniel Vieira da. Educação psicomotora. Curitiba: IESDE Brasil, 2009.

SUEHIRO, A. C. B. Dificuldades de aprendizagem da escrita num grupo de crianças do Ensino Fundamental. PSIC - Revista de Psicologia da Vetor Editora, São Paulo, v. 7, n. 1, p. 59-68, jan./jun. 2006.

TELES, Paula. Abecedário e silabário. Dislexia - Método fonomímico. Lisboa: Distema, 2008.

TORRES, Rosa Maria Rivas; FERNÁNDEZ, Pilar. Dislexia, disortografia e disgrafia. Amadora: McGraw Hill, 2001.

VISCA, Jorge. O diagnóstico operatório na prática psicopedagógica. São José dos Campos: Pulso, 2008.

Publicado
2022-05-20