O desafio da superação do analfabetismo no Brasil: implicações legais e históricas

  • Jaqueline Vaselik Centro Universitário Internacional - Uninter

Resumo

A superação do analfabetismo é um dos maiores desafios educacionais brasileiros. Herança de um processo histórico, tornou-se causa abraçada por alguns e ignorada por outros, ligada à formação docente, a desafios econômicos, orçamentários, culturais e do cumprimento de uma das metas do Plano Nacional de Educação (PNE) vigente até 2024. Por que o analfabetismo ainda não foi superado no Brasil? Para responder a tal indagação, esta pesquisa retoma brevemente o percurso histórico relacionado à educação de jovens e adultos, destacando leis que influenciariam a consolidação do alfabetismo no Brasil, especialmente os Planos Nacionais de Educação de 2001 e 2014. Metodologicamente, optou-se por revisão bibliográfica de abordagem qualitativa a partir da consulta de livros, dissertações e artigos científicos selecionados nas bases de dados CAPES, SciELO e Redalyc. A superação do analfabetismo no Brasil envolve complexas considerações, desde aspectos histórico-culturais até o desejo político de proteger e efetivar o direito à educação para todos.  Através das informações coletadas, percebe-se que o problema persiste, por isto requer ações precisas e intersetoriais para que o analfabetismo seja enfim superado.

Palavras-chave: analfabetismo; políticas educacionais; PNE; EJA.

Abstract

Overcoming illiteracy is one of the greatest educational challenges in Brazil. The legacy of a historical process, it has become a cause embraced by some and ignored by others, linked to teacher training, to economic, budgetary, and cultural challenges, and to the fulfillment of one of the National Education Plan (PNE) goals in force until 2024. Why hasn't illiteracy been overcome in Brazil yet? To answer this question, this research briefly resumes the historical course related to youth and adult education, highlighting laws that would influence the consolidation of literacy in Brazil, especially the National Education Plans of 2001 and 2014. Methodologically, it's opted a qualitative bibliographic review based on books, dissertations, and scientific articles selected from the CAPES, SciELO, and Redalyc databases. Overcoming illiteracy in Brazil involves complex considerations, from historical and cultural aspects to the political desire to protect and realize the right to education for all.  Through the information collected, it can be seen that the problem persists, which is why it requires precise and intersectoral actions to finally overcome illiteracy.

Keywords: Illiteracy; educational policies; PNE; EJA.

Resumen

La superación del analfabetismo es uno de los más grandes retos de la educación brasileña. Herencia de un proceso histórico, se ha vuelto causa defendida por algunos e ignorada por otros; está ligada a la formación docente, a retos económicos, presupuestarios y culturales y al cumplimiento de una de las metas del Plan Nacional de Educación (PNE), vigente hasta 2024. ¿Por qué el analfabetismo no ha sido superado en Brasil? Para contestar a esa pregunta, esta investigación retoma brevemente el recorrido histórico de la educación de jóvenes y adultos, destacando leyes que incidirían sobre la consolidación de la alfabetización en Brasil, especialmente los Planes Nacionales de Educación de 2001 a 2014. Metodológicamente, se optó por una revisión bibliográfica con orientación cualitativa, a partir de consulta a libros, tesis y artículos científicos seleccionados en las bases de datos CAPES, SciELO y Redalyc. La superación del analfabetismo en Brasil involucra consideraciones complejas, desde aspectos histórico-culturales hasta el deseo político de proteger y hacer efectivo el derecho a la educación para todos. Por medio de las informaciones recopiladas, se constata que el problema persiste, por ello requiere de acciones precisas e intersectoriales para que el analfabetismo sea finalmente superado.

Palabras-clave: analfabetismo; políticas educacionales; PNE; EJA.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaqueline Vaselik, Centro Universitário Internacional - Uninter

Licencianda em Pedagogia no Centro Universitário Internacional Uninter.

Referências

BIBLIOTECA PROF. PAULO DE CARVALHO MATTOS. Tipos de revisão de literatura. Botucatu: Unesp, 2015.

BOMENY, Helena. Quando os números confirmam impressões: desafios na educação brasileira. Rio de Janeiro: CPDOC, 2003. 29 p. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/6754. Acesso em: 27 abr. 2022.

BRAGA, Ana Carolina; MAZZEU, Francisco José Carvalho. o analfabetismo no brasil: lições da História. Revista on-line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 21, n. 1, p. 24-46, 2017. DOI https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n1.2017.9986

BRASIL. [Constituição (1824)]. Constituição Política do Império do Brazil. Rio de Janeiro, 1824. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao24.htm. Acesso em: 27 abr. 2022.

BRASIL. [Constituição (1891)]. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro, 1891. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao91.htm. Acesso em: 27 abr. 2022.

BRASIL. [Constituição (1934)]. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro, 1934. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao34.htm. Acesso em: 27 abr. 2022.

BRASIL. [Constituição (1937)]. Constituição dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro, 1937. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao37.htm. Acesso em: 27 abr. 2022.

BRASIL. [Constituição [(1946]. Constituição dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro, 1946. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao46.htm. Acesso em: 27 abr. 2022.

BRASIL. [Constituição (1967)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1967. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao67.htm. Acesso em: 27 abr. 2022.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Presidência da República, [2022]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 27 abr. 2022.

BRASIL. Lei Federal n.º 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 1, de 9 jan. 2001. Disponível em: https://legislacao.presidencia.gov.br/atos/?tipo=LEI&numero=10172&ano=2001&ato=217MTRE5kMNpWT3af. Acesso em: 27 abr. 2022.

BRASIL. Lei n.º 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação — PNE e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, ano 151, n. 120-A, p. 1, 25 jun. 2014. Disponível em: https://legislacao.presidencia.gov.br/atos/?tipo=LEI&numero=13005&ano=2014&ato=8b4gXWE9ENVpWT136. Acesso em: 27 abr. 2022.

FERRARO, Alceu Ravanello; KREIDLOW, Daniel. Analfabetismo no Brasil: configuração e gênese das desigualdades regionais. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 29, n. 2, p. 179-200, jul./dez. 2004. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/25401 . Acesso em: 27 abr. 2022.

HADDAD, Sérgio; PIERRO, Maria Clara. Escolarização de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 14, p. 108-194, jul. 2000. DOI https://doi.org/10.1590/S1413-24782000000200007

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua. [S.l.]: IBGE, 2019. Disponível em: https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/biblioteca/pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios-continua-caracteristicas/. Acesso em: 27 abr. 2022.

SOUZA, Maria Antônia. Educação de Jovens e Adultos: um pouco de história da EJA no Brasil. 1. ed. Curitiba: Intersaberes, 2012. p. 32-67.

VIEIRA, Sofia Lerche; FARIAS, Isabel Maria Sabino de. Política educacional no Brasil: Introdução Histórica. 1. ed. Brasília: Liber Livro, 2007. p. 86-98.

Publicado
2022-05-20