TDAH e a importância de um diagnóstico correto

  • Iara da Silva Donizetti Uninter

Resumo

O Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) apresenta características básicas como, por exemplo, a desatenção, a agitação e a impulsividade. Portanto, uma avaliação bem estruturada seguida de um diagnóstico assertivo é de suma importância, considerando também que uma avaliação precoce juntamente com um tratamento adequado pode reduzir os sintomas de forma significativa, principalmente levando em conta as demandas e os obstáculos encontrados pelo portador do TDAH ao longo de sua vida. A Organização Mundial de Saúde (OMS) reconhece-o oficialmente como uma síndrome neurocomportamental que costuma se manifestar na infância, especialmente na fase escolar, de forma a causar prejuízos na vida da criança e de todos os que estão à sua volta. Este estudo baseou-se em uma revisão da literatura a partir de levantamento de artigos no SciELO/Pubmed, PsycINFO e de importantes livros publicados nos últimos anos. O objetivo deste trabalho é refletir sobre a importância de um diagnóstico coerente, seguido de um tratamento eficiente, a partir de consulta a bibliografia pertinente para a avaliação deste transtorno. Conclui-se que um diagnóstico errôneo ou tardio pode produzir danos severos que persistirão por toda a vida.

Palavras-chave: TDAH; avaliação; diagnóstico; intervenção.

Abstract

The Attention Deficit Hyperactivity Disorder (ADHD) presents basic characteristics such as inattention, restlessness and impulsiveness. Therefore, a well-structured evaluation followed by an assertive diagnosis is of utmost importance, also considering that an early evaluation along with adequate treatment can significantly reduce symptoms, especially keeping in mind the demands and obstacles encountered by the ADHD sufferer throughout his or her life. The World Health Organization (WHO) officially recognizes it as a neurobehavioral syndrome that usually manifests itself in childhood, especially during the school phase, in such a way as to cause damage to the child's life and to all those around him/her. This study was based on a literature review of articles in SciELO/Pubmed, PsycINFO, and important books published in recent years. This work objective is to reflect on a coherent diagnosis importance, followed by an efficient treatment, based on the pertinent bibliography for the evaluation of this disorder. It’s concludes that a wrong or delayed diagnosis can produce severe damage persistent for a lifetime.

Keywords: TDAH; evaluation; diagnosis; intervention.

Resumen

El Trastorno por Déficit de Atención e Hiperactividad presenta características básicas como, por ejemplo, la falta de atención, la agitación y la impulsividad. Por lo tanto, una evaluación bien estructurada seguida de un diagnóstico asertivo es de suma importancia, considerándose que una evaluación precoz junto a un tratamiento adecuado puede reducir los síntomas de manera significativa, principalmente si se toman en consideración los requerimientos y obstáculos encontrados por el portador de TDAH a lo largo de la vida. La Organización Mundial de la Salud (OMS) lo reconoce oficialmente como un síndrome neurocomportamental que suele manifestarse en la infancia, especialmente en la etapa escolar, de forma a causar perjuicios en la vida del niño y en la de quienes están a su alrededor. Este estudio se apoya en revisión de la literatura a partir de recopilación de artículos en SciELO/Pubmed, PsycINFO y de importantes obras publicadas en los últimos años. El objetivo de este trabajo es reflexionar sobre la importancia de un diagnóstico coherente, seguido de un tratamiento eficiente, a partir de consulta a bibliografía pertinente para la evaluación de ese trastorno. Se concluye que un diagnóstico equivocado o demorado puede producir daños severos que perdurarán por toda la vida.

Palabras-clave: TDAH; evaluación; diagnóstico; intervención.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iara da Silva Donizetti, Uninter

Docente do Centro Universitário Internacional UNINTER. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-8884-8967. Alfenas, MG. Brasil.

Referências

ALMEIDA, Priscila de Albuquerque et al. Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade: o que os professores universitários sabem sobre isso? In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 2., 2015, Campina Grande. Anais [...] Campina Grande: Realize Editora, 2015.

AMARAL, A. H.; GUERREIRO, M. Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade. Arquivos de Neuropsiquiatria, São Paulo, v. 59, n. 4, p. 884-888, 2001.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION (APA). DSM IV TR. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais – DSM. 4. ed. Tradução Claudia Dornelles. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.

BARKLEY, R. A. Behavioral inhibition, sustained attention, and executive functions: constructing a unifying theory of ADHD. Psychological Bulletin, [s. l.], v. 121, n. 1, p. 65- 94, 1997.

BARKLEY, R. A. et al. Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade. Manual para diagnóstico e tratamento. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

BARKLEY, R. A. Transtorno de déficit de atenção/ hiperatividade (TDAH): guia completo e autorizado para os pais, professores e profissionais da saúde. Trad. Luís Sérgio Roizman. Porto Alegre, RS: Artmed, 2002.

BENCZIK, E. P. B. Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade. Atualização diagnóstica e terapêutica. Um guia de orientação para profissionais. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006.

CALEGARO, M. Avaliação psicológica do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). In: CRUZ, R. M.; ALCHIERI, J. C.; SARDÁ JR, J. J. (org.). Avaliações e medidas psicológicas: produção do conhecimento e da intervenção profissional. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002.

CALIMAN, Luciana Vieira. Notas sobre a história oficial do transtorno do déficit de atenção/hiperatividade TDAH. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 30, n. 1, 2010.

COES, M. do C. R. Distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade em crianças e adolescentes. In: SOBRINHO; F. de P. N.; CUNHA, A. C. B. da (org). Dos problemas disciplinares aos distúrbios de conduta: práticas e reflexões. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1999. p. 59-88.

DESIDÉRIO, R.; MIYAZAKI, M.C. Transtorno de Déficit de Atenção / Hiperatividade (TDAH): orientações para a família. Psicol. Esc. Educ., São Paulo, v. 11, n. 1, jun. 2007.

FONSECA, V. Dificuldade de aprendizagem. Lisboa: Âncora Editora, 2008.

GOLDSTEIN, Sam. Hiperatividade: compreensão, avaliação e atuação. Uma visão geral sobre TDAH. Campinas: Papirus, 2006.

GOLDSTEIN, S.; GOLDSTEIN, M. Hiperatividade. Como desenvolver a capacidade de atenção da criança. 7. ed. Campinas: Papirus, 2001.

GRAEFF, Rodrigo Linck; VAZ, Cícero E. Avaliação e diagnóstico do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). Psicologia USP, São Paulo, v. 19, n. 3, p. 341-361, 2008.

HARPIN, V. A. The effect of ADHD on the life of an individual, their family, and community from preschool to adult life. Arch Dis Child, [s. l.], n. 90, suppl I, Feb. 2005.

HERNÁNDEZ, G. M. C. Trastorno por déficit de atención e hiperactividad. Revista Peruana de Pediatría, Lima, v. 60, n. 2, p. 126-131, 2007.

RICHTERS, J. E. et al. NIMH Collaborative Multisite Multimodal Treatment Study of Children with ADHD: I. Background and Rationale. Journal of the American Academy of Children and Adolescent Psychiatry, [s. l.], v. 34, n. 38, p. 987-1000, 1995.

RISUEÑO, A. E. Aportes de la neuropsicología dinámica integral al diagnóstico y tratamiento del ADHD. Revista de Psiquiatría Psicológica del Niño y Adolescente, [s. l.], v. 4, n. 1, p. 79-87, 2001.

ROHDE, L. A. et al. Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade. Revista Brasileira de Psiquiatria, São Paulo, v. 22, supl. 2, p. 7-11, 2000.

ROHDE, Luiz Augusto P.; BENCZIK, Edyleide B.P. Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade: O que é? Como ajudar? Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

ROTTA, N. T. Transtornos de atenção: aspectos clínicos. In: ROTTA, N. T.; OHLWEILER, L.; RIESGO, R. S. (eds.). Transtornos de aprendizagem: Abordagem neurobiológica e multidisciplinar. Porto Alegre, RS: Artes Médicas, 2006. p. 301-313.

SAMPAIO, Simaia. FREITAS, Ivana Braga (org.). Transtornos de dificuldades de aprendizagem: entendendo melhor os alunos com necessidades educativas especiais. Rio de Janeiro: Wak, 2011.

SILVA, A. B. B. Mentes inquietas: entendendo melhor o mundo das pessoas distraídas, impulsivas e hiperativas. Rio de Janeiro: Napedes, 2003.

SOUZA, I. et al. Comorbidade em crianças e adolescentes com transtorno de déficit de atenção. Arquivos de Neuropsiquiatria, São Paulo, v. 59, n. 2-B, p. 401-406, jun. 2001.

TRAVELLA, J. Síndrome de la Atención Dispersa, hiperactividad en pacientes adultos (ADHD). Revista Argentina de Clínica Neuropsiquiátrica, Buenos Aires, v. 10, n. 2, set. 2001. Disponível em: https://www.alcmeon.com.ar/10/38/travella.htm. Acesso em: 20 jan. 2022.

Publicado
2022-05-20