A formulação de políticas públicas e a instrumentalização necessária para sua implementação e acompanhamento

  • Juliano Paniago de Alcantara Uninter

Resumo

Resumo

A complexidade de problemas sociais tem ampliado o debate sobre a busca de melhores resultados no desenvolvimento e efetivação de políticas públicas no Brasil. Para atender a evolução de soluções para questões relacionadas com a educação, saúde, meio ambiente, segurança, entre outras, é importante que os entes governamentais federativos incorporem, em sua atuação, metodologias que concretizem seus objetivos precípuos e ampliem a experiência de bem-estar social para os cidadãos brasileiros. Com intuito de apresentar esta perspectiva, o presente estudo tem como escopo conceituar e demonstrar como pode funcionar a instrumentalização de políticas públicas em sua vertente state centered policy-making, de forma a regular, normalizar, corrigir e solucionar demandas sociais — esclarecendo sua complexidade e interação —, existentes nas mais diversificadas agendas. Assim, a investigação apresenta os moldes conceituais doutrinários e pragmáticos do uso metodológico empregado na formulação e implementação de políticas públicas, lato sensu, utilizado por gestores públicos em sua concretização. Para tanto, foi realizada pesquisa caracterizada como revisão bibliográfica, de caráter qualitativo-descritivo que, utilizando fontes publicadas no período compreendido entre 2000 e 2018, no idioma português, permite observar o quanto são múltiplos os instrumentos, modelos e ferramentas que, considerando os diversos interesses envolvidos, visam atender a dinâmica de nossa sociedade.

Palavras-chave: Políticas públicas. Formulação. Implementação. Ferramentas de gestão pública.

Abstract

The complexity of social problems has broadened the debate about the search for better results in developing and implementing public policies in Brazil. In order to respond to the evolution of solutions to issues related to education, health, environment, safety, among others, it is important that federative government entities incorporate, in their work, methodologies that fulfill their primary objectives and broaden the social welfare experience to the Brazilian citizens. To present this perspective, the present study aims to conceptualize and demonstrate how the instrumentalization of public policies in its state-centered policy-making aspect can work, regulate, normalize, correct, and solve social demands — clarifying its complexity and interaction —, existing in the most diverse agendas. Thus, the investigation presents the doctrinal and pragmatic conceptual molds of the methodological use applied in the formulation and implementation of public policies, lato sensu, used by public managers in its implementation. To this end, a research was carried out characterized as a bibliographic review of a qualitative-descriptive character that, using sources published in the period between 2000 and 2018, in Portuguese, allows us to observe how many the instruments, models, and tools are, which, considering the different interests involved, aim to meet the dynamics of our society.

Keywords: Public policies. Formulation. Implementation. Public management tools.

Resumen

La complejidad de los problemas sociales ha ampliado el debate sobre la búsqueda de mejores resultados en el desarrollo y concreción de políticas públicas en Brasil. Para atender la evolución de soluciones para cuestiones relacionadas con la educación, salud, medio ambiente, seguridad, entre otras, es importante que los entes gubernamentales federativos incorporen, en su actuación, metodologías que concreticen sus objetivos esenciales y amplíen la experiencia de bienestar social para los ciudadanos brasileños. Con el propósito de presentar esa perspectiva, el presente estudio tiene como meta definir y demostrar cómo puede funcionar la instrumentación de políticas públicas en su vertiente state centered policy-making, de manera a regular, normalizar, corregir y darles solución a demandas sociales — aclarando su complejidad e interacción —, existentes en las más diversas agendas. Así, el presente estudio presenta los moldes conceptuales doctrinarios y pragmáticos del uso metodológico empleado en la formulación e implantación de políticas públicas, lato sensu, utilizados por gestores públicos en su concreción. Para ello, se realizó investigación caracterizada como revisión bibliográfica, de carácter cualitativo-descriptivo que, utilizando fuentes publicadas en el período comprendido entre 2000 y 2018, en portugués, permite observar cuán múltiples son los instrumentos, modelos y herramientas que, considerando los diversos intereses involucrados, pretenden atender a la dinámica de nuestra sociedad.

Palabras-clave: Políticas públicas. Formulación. Implantación. Herramientas de gestión pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliano Paniago de Alcantara, Uninter

ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO PÚBLICA, POLÍTICA, JURÍDICA E DE SEGURANÇA

Bacharealando em Ciencia Politica

e Relaçoes Internacionais

Referências

ALMEIDA, Lia de Azevedo; SILVA, Amilton Paulino; SILVA, Mônica Aparecida da Rocha. Os múltiplos fluxos na formação da agenda climática em Palmas e a participação de redes transnacionais dos governos locais. Teoria e Pesquisa, [São Carlos], v. 22, n. 2, p. 37-49, jul./dez. 2013. Disponível em: <http://www.teoriaepesquisa.ufscar.br/index.php/tp/article/viewFile/357/238>. Acesso em: 25 jan. 2019.

AMORIM, Simone; BOULLOSA, Rosana de Freitas. O estudo dos instrumentos de políticas públicas: uma agenda em aberto para experiências de migração de escala. AOS, [Belém], v. 2, n. 1, p. 59-69, jan./jun. 2013. Disponível em: <http://revistas.unama.br/index.php/aos/article/view/52/pdf>. Acesso em: 21 jan. 2019.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Orçamento Federal. Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos. Indicadores - Orientações Básicas Aplicadas à Gestão Pública / Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Coordenação de Documentação e Informação – Brasília: MP, 2012. 64 p.: il. color.

BRYSON, J. M.; CROSBY, B. C. e STONE, M. M. (2006). The design and the implementation of cross-sector collaborations: propositions from the literature. Public Administration Review, v. 66, december, pp. 44-55.

CALDAS, Ricardo Wahrendorff (Coord.). Políticas Públicas: conceitos e práticas. Belo Horizonte: SEBRAE/MG, 2008. 48 p. 7 v. (Políticas Públicas). Disponível em: <http://www.mp.ce.gov.br/nespeciais/promulher/manuais/MANUAL%20DE%20POLITICAS%20P%C3%9ABLICAS.pdf>. Acesso em: 16 jan. 2019.

CAPELLA, Ana Cláudia Niedhardt. Formação da Agenda Governamental: Perspectivas Teórica. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, XXIX., 2005, [Caxambu]. [Caxambu: s.n.], 2005. p. 1-35. Disponível em: <https://www.anpocs.com/index.php/papers-29-encontro/gt-25/gt19-21/3789-acapella-formacao/file>. Acesso em: 25 jan. 2019.

______. Perspectivas Teóricas sobre o Processo de Formulação de Políticas Públicas. BIB, São Paulo, n. 61, p. 25-52, 2006. Disponível em: <http://www.anpocs.org.br/portal/images/bib61.pdf>. Acesso em: 18 jan. 2019.

______; BRASIL, Felipe Gonçalves. Análise de políticas públicas: uma revisão da literatura sobre o papel dos subsistemas, comunidades e redes. Novos Estudos CEBRAP, São Paulo, n. 101, p. 57-76, jan./mar. 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/nec/n101/0101-3300-nec-101-0057.pdf>. Acesso em: 16 jan. 2019.

______. Formulação de Políticas. Brasília: ENAP, 2018. 151 p.: il. Disponível em: <http://repositorio.enap.gov.br/bitstream/1/3332/1/Livro_Formula%C3%A7%C3%A3o%20de%20pol%C3%ADticas%20p%C3%BAblicas.pdf>. Acesso em: 18 jan. 2019.

CARDOSO JÚNIOR, José Celso. Monitoramento estratégico de políticas públicas: requisitos tecnopolíticos, proposta metodológica e implicações práticas para a alta administração pública brasileira. Brasília: IPEA, 2015. 37 p. Disponível em: <http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/3536/1/td_2040.pdf>. Acesso em: 18 jan. 2019.

CASARIN, Helen de Castro Silva; CASARIN, Samuel José. Pesquisa científica: da teoria à prática. Curitiba: InterSaberes, 2012. 200 p.

CASSIOLATO, Martha; GUERESI, Simone. Como elaborar Modelo Lógico: roteiro para formular programas e organizar avaliação. Brasília: IPEA, 2010. 35 p. Disponível em: . Acesso em: 17 jan. 2019.

CASTRO, Jorge Abrahão; OLIVEIRA, Márcio Gimene de. Políticas públicas e desenvolvimento. In: MADEIRA, Lígia Mori (Org.). Avaliação de políticas públicas. Porto Alegre: UFRGS/CEGOV, 2014. (Capacidade Estatal e Democracia). cap. 1. p. 20-48. Disponível em: <https://www.ufrgs.br/cegov/files/pub_37.pdf>. Acesso em: 16 jan. 2019.

DE TONI, Jackson. O planejamento estratégico governamental: reflexões metodológicas e implicações na gestão pública. Curitiba: InterSaberes, 2016. (Série Gestão Pública).

FARAH, Marta Ferreira Santos. Análise de políticas públicas no Brasil: de uma prática não nomeada à institucionalização do “campo de públicas”. Rev. Adm. Pública, Rio de Janeiro, v. 50, n. 6, p. 959-979, nov./dez. 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rap/v50n6/0034-7612-rap-50-06-00959.pdf>. Acesso em: 16 jan. 2019.

FARENZENA, Nalú; LUCE, Maria Beatriz. In: MADEIRA, Lígia Mori (Org.). Avaliação de políticas públicas. Porto Alegre: UFRGS/CEGOV, 2014. (Capacidade Estatal e Democracia). cap. 8. p. 195-215. Disponível em: <https://www.ufrgs.br/cegov/files/pub_37.pdf>. Acesso em: 16 jan. 2019.

GOTTEMS, Leila Bernarda Donato; et al. O modelo dos múltiplos fluxos de Kingdon na análise de políticas públicas de saúde: aplicabilidades, contribuições e limites. Saúde Soc., São Paulo, v. 22, n. 2, p. 511-520, 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v22n2/v22n2a20.pdf>. Acesso em: 25 jan. 2019.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Avaliação de políticas públicas: guia prático de análise ex ante, volume 1. Brasília: IPEA, 2018. 192 p.: il. 1 v. Disponível em: <http://www.cgu.gov.br/Publicacoes/auditoria-e-fiscalizacao/arquivos/guia-analise-ex-ante.pdf>. Acesso em: 18 jan. 2019.

______. Brasil em Desenvolvimento: Estado, planejamento e políticas públicas. Brasília: IPEA, 2010. 270 p. 3 v. (Brasil: o Estado de uma nação). Disponível em: <http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/3801/1/Livro_Brasil_em_desenvolvimento_2010_v_3.pdf>. Acesso em: 17 jan. 2019.

LIMA, Luciana Leite; D’ASCENZI, Luciano. Estrutura normativa e implementação de políticas públicas. In: MADEIRA, Lígia Mori (Org.). Avaliação de políticas públicas. Porto Alegre: UFRGS/CEGOV, 2014. (Capacidade Estatal e Democracia). cap. 2. p. 51-63. Disponível em: <https://www.ufrgs.br/cegov/files/pub_37.pdf>. Acesso em: 16 jan. 2019.

LOPES, Brenner; AMARAL, Jefferson Ney; CALDAS, Ricardo Wahrendorff. Políticas Públicas: conceitos e práticas – Belo Horizonte: Sebrae/MG, 2008. 48 p.

MADEIRA, Lígia Mori (Org.). Avaliação de políticas públicas. Porto Alegre: UFRGS/CEGOV, 2014. 254 p.: il. (Capacidade Estatal e Democracia). Disponível em: <https://www.ufrgs.br/cegov/files/pub_37.pdf>. Acesso em: 16 jan. 2019.

MARIANI, Isabella dos Santos. Abordagem multicêntrica na gestão de políticas públicas: o caso de extinção do corte manual de cana-de-açúcar. 2014. 53 f. Monografia (Bacharelado em Gestão de Políticas Públicas) – Faculdade de Ciências Aplicadas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2014. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000943399&opt=1>. Acesso em: 17 jan. 2019.

MEDEIROS, Anny Karine de; FARAH, Marta Ferreira Santos. Implementação e reformulação de políticas públicas: o caso do Programa Cultura Viva. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 65, n. 1, p. 7-24, jan./mar. 2014. Disponível em: <https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/419/413>. Acesso em: 25 jan. 2019.

OLLAIK, Leila Giandoni; MEDEIROS, Jannan Joslin. Instrumentos governamentais: reflexões para uma agenda de pesquisas sobre implementação de políticas públicas no Brasil. RAP, Rio de Janeiro, v. 45, n. 6, p. 1.943-1.967, nov./dez. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rap/v45n6/a15v45n6.pdf>. Acesso em: 21 jan. 2019.

QUEIROZ, Roosevelt Brasil. Formação e gestão de políticas públicas. Curitiba: Ibpex, 2007.

______. Gestão Pública. Curitiba: InterSaberes, 2012. 277 p.

RAEDER, Savio. Ciclo de políticas: uma abordagem integradora dos modelos para análise de políticas públicas. Perspectivas em Políticas Públicas, Belo Horizonte, v. VII, n. 13, p. 121-146, jan./jun. 2014. Disponível em: <http://revista.uemg.br/index.php/revistappp/article/view/856/550>. Acesso em: 17 jan. 2019.

RUA, Maria das Graças; ROMANINI, Roberta. Para aprender políticas públicas – Volume 1: conceitos e teorias. [S.l.]: IGEPP, 2013. 147 p. Disponível em: <http://igepp.com.br/uploads/ebook/ebook-para_aprender_politicas_publicas-2013.pdf>. Acesso em: 16 jan. 2019.

SECCHI, L. Políticas Públicas: Conceitos, Esquemas de Análises, Casos Práticos. 2ª ed. São Paulo: Editora Cengage Learning, 2013.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22. ed. rev. e ampl. São Paulo: Cortez, 2002. 335 p.

SILVA, Gustavo Tavares da. Políticas públicas e a intersetorialidade: uma discussão sobre a democratização do Estado. Cadernos Metrópole, [São Paulo], n. 19, p. 81-97, 2008. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/metropole/article/view/8711/6462>. Acesso em: 25 jan. 2019.

SILVA, Priscilla Teresinha Pyrrho de Souza. O orçamento público como ferramenta de análise de políticas públicas. 2012. 138 f. Monografia (Especialização em Orçamento Público) – Instituto Serzedello Corrêa, Brasília, 2012. Disponível em: <https://portal.tcu.gov.br/biblioteca-digital/o-orcamento-publico-como-ferramenta-de-analise-de-politicas-publicas.htm>. Acesso em: 17 jan. 2019.

Publicado
2021-02-25