Elementos determinantes do voto

  • Antonio Roziano Ponte Linhares Uninter
  • Carlos Alberto Simioni

Resumo

Resumo

A história da humanidade sempre foi marcada por inúmeros conflitos de interesses, constituindo-se, portanto, em um grande desafio o estabelecimento de regras de convivência (contratos sociais) que permitam a sua solução.  Diante deste contexto, faz-se necessário que os homens instituam o governo da lei, via democracia (voto popular), evitando-se, portanto, que o governo dos homens institua modelos tirânicos e desprovidos de espírito público. Deparamo-nos, assim, com uma pergunta inexorável: que fatores e variáveis são determinantes no processo de escolha eleitoral? Em função do exposto, elegemos como objetivo geral deste trabalho identificar os elementos determinantes do comportamento dos eleitores no momento do voto e, como objetivos específicos: a) identificar entre as teorias explicativas das escolhas eleitorais o que os eleitores pretendem com o voto; b) identificar o nível de consciência crítica presente nas decisões de voto, segundo estudos já realizados. Este trabalho identificou a Teoria Sociológica, psicossocial, e a Teoria Econômica ou racional, como teorias explicativas da escolha dos eleitores. Conclui-se que os elementos explicativos da escolha do eleitor estão presentes tanto em questões de cunho sociológico, psicossocial, quanto econômico/racional.  Enfim, as teorias explicativas do voto não são excludentes e sim complementares; elas apontam, entre os principais determinantes do voto, os seguintes elementos: natureza afetiva e emocional do eleitor (voto simbólico – eleitor carente de atenção); força da mídia; alienação, imitação e uso de atalhos informacionais (terceirização do voto); nível educacional do eleitor; campanhas eleitorais; interesse pela política; tecnologia da informação (boom das redes sociais).

Palavras-chave: Determinantes do voto. Eleições democráticas. Escolhas eleitorais.

Abstract

Countless conflicts of interest have always marked humankind's history, and therefore, it is a great challenge to establish rules of coexistence (social contracts) that allow its solution. In this context, it is necessary for men to institute the rule of law via democracy (popular vote), thus avoiding the government of men initiating tyrannical models and devoid of public spirit. Hence, we are faced with an inevitable question: what factors and variables are decisive in the electoral choice process? Given the above, we chose as the general objective of this work to identify the elements that determine the behavior of voters at the time of voting and, as specific objectives: a) to identify among the explanatory theories of electoral choices what voters intend with the vote; b) determine the level of critical awareness present in voting decisions, according to studies already carried out. This work identified Sociological Theory, psychosocial, and Economic Theory or rational as explanatory theories of voters' choice. It is concluded that the explanatory elements of the voter's choice are present both in questions of a sociological, psychosocial, and economic/rational nature. Finally, explanatory theories of voting are not excluding but complementary; they point out, among the main determinants of the vote, the following elements: affective and emotional nature of the voter (symbolic vote - voter in need of attention); media strength; alienation, imitation, and use of information shortcuts (voting outsourcing); voter educational level; election campaigns; interest in politics; information technology (social media boom).

Keywords: Determinants of the vote. Democratic elections. Electoral choices.

Resumen

La historia de la humanidad ha sido siempre marcada por muchos conflictos de intereses, lo que ha hecho que el establecimiento de reglas de convivencia (contratos sociales) para la resolución de esos conflictos sea un reto. En ese contexto, se hace necesario que los hombres establezcan el gobierno de la ley, vía democracia (voto popular), evitando que el gobierno de los hombres imponga modelos tiránicos y desprovistos de espíritu público. Nos vemos, así, frente a una pregunta inexorable: ¿qué factores y variables son determinantes en el proceso de decisión electoral? Frente a lo expuesto, elegimos como objetivo general de este trabajo identificar los elementos determinantes del comportamiento de los electores en el momento del voto y, como objetivos específicos: a) identificar entre las teorías explicativas de las opciones electorales aquello que los electores pretenden con el voto; b) identificar el nivel de consciencia crítica presente en las decisiones de voto, según estudios realizados. Este trabajo identificó la Teoría Sociológica, psicosocial, y la Teoría Económica, o racional, como teorías explicativas de las decisiones de los electores. Se concluye que los elementos explicativos de las decisiones del elector están presentes tanto en cuestiones de orden sociológico, psicosocial, cuanto económico/racional. De manera que las teorías no son excluyentes, sino complementarias; ellas apuntan entre los principales determinantes del voto los siguientes elementos: naturaleza emocional y afectiva del elector (voto simbólico – elector carente de atención); fuerza de los medios de comunicación; alienación, imitación y uso de mediación informativa (tercerización del voto); nivel educativo del elector; campañas electorales; interés por la política; tecnología de la información (boom de las redes sociales).

Palabras-clave: Determinantes del voto. Elecciones democráticas. Decisiones electorales.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Roziano Ponte Linhares, Uninter

Doutor em Administração pela Universidade de Brasília (Unb); Mestre em Administração pela Universidade Estadual do Ceará (UECE); Especialista em Auditoria pela Universidade de São Paulo (USP); em Administração da Qualidade pela Universidade Federal do Ceará (UFC); em Educação de Adultos pela Universidade de Brasília (UnB); Graduado em Letras pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), Ciências Políticas e Administração de empresas (em conclusão).

Referências

Borba, Julian, Ribeiro, Ednaldo, Carreirão, Yan, & Gimenes, Eder Rodrigo. (2018). Determinantes individuais e de contexto da simpatia partidária na América Latina. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 33(97), e339711. Epub April 16, 2018.https://dx.doi.org/10590/339711/2018

Butler, D. E. Comportamento Político. Tradução: Sérgio de Q. Duarte. Rio de Janeiro. Editora Laudes S.A, 1958

Bobbio, Noberto. O Futuro da Democracia. Tradução: Marco Aurélio Nogueira. São Paulo. Editora Paz e Terra, 2000

Camino, Leôncio et all. Estudos sobre o Comportamento Político. Florianopólis. Livraria e editora obra Jurídica Ltda, 1997.

Cervi, Emerson Urizzi. Opinião pública e comportamento político. Curitiba. Editora Intersaberes, 2012.

Figueredo Marcus, A Decisão Do Voto, democracia e racionalidade. Belo Horizonte: Editora UFMG; Rio de Janeiro: IUPERJ,2008.

Godbout, J.T.. (1998). Introdução à dádiva. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 13(38), 39-52. https://dx.doi.org/10.1590/S0102-69091998000300002

Hobbes, Thomas. Leviatã ou Matéria, forma e poder de um estado eclesiástico e civil. São Paulo. Editora Martin Claret, 2001

Leite, Fernando. Ciência Política: Da antiguidade aos nossos dias. Curitiba. Editora Intersaberes, 2016

Locke, John. Ensaios Políticos. São Paulo. Editora Martins Fontes, 2007.

Penna, Gomes Antônio. Cognitivismo, consciência e Comportamento Político. São Paulo. Editora Câmara Brasileira do Livro, 1986.

Platão. A República. São Paulo. Editora Nova Cultural, 2000.

Rennó, Lúcio. 2001. A estrutura das crenças de massa e seu impacto na decisão de voto. BIB — Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais (51): 85-103.

Rousseau, J. J. O contrato social. São Paulo. Editora Martins Fontes, 1996.

Tocqueville, Alexis. A democracia na América. Editora Folha de São Paulo, 2010.

Publicado
2021-02-25