Elites e instituições políticas: a ascensão do partido social liberal ao aparato governamental em 2019

  • Walter do Nascimento Neto Centro Universitário Internacional - UNINTER

Resumo

O presente artigo analisa a ascensão do Partido Social Liberal (PSL) ao aparato governamental brasileiro, sob a presidência de Jair Messias Bolsonaro em 2019. Trata-se de uma pesquisa descritiva e de caráter quali-quantitativo, realizada através de livros, artigos científicos, documentos e sites oficiais. Examinaram-se os conceitos de direita, esquerda e conservadorismo, além do sistema partidário e sua organização com base em blocos ideológicos.  Sob a ótica de Coppedge (1997), abordaram-se, também, definições sobre partidos personalistas e seculares de direita. Para elucidar a ascensão do PSL, o estudo versa sobre: os movimentos sociais de direita de 2015; o conceito de cosmovisão; a crise de representatividade; ideias-força; ideologia; e a articulação entre evangélicos e conservadorismo. Os resultados indicaram, a partir do perfil de gênero e raça dos seus representantes eleitos, que o PSL não contribui para uma maior diversidade no Congresso Nacional em comparação a outras legendas, em virtude do seu expressivo conteúdo ideológico.

Palavras-chave: Partido Social Liberal; movimentos sociais de direita; conservadorismo.

Abstract

This article analyzes the rise of the Social Liberal Party (PSL) to the Brazilian government apparatus, under the presidency of Jair Messias Bolsonaro in 2019. This is a descriptive and qualitative-quantitative research, carried out through books, scientific articles, documents, and research on official websites. The concepts of right, left and conservatism are examined, in addition to the party system and its organization based on ideological blocks. From the perspective of Coppedge (1997), definitions of personalist and secular right-wing parties are also addressed. To elucidate the rise of the PSL, the study discusses: the right-wing social movements of 2015; the concept of worldview; the crisis of representation; ideas-force; ideology; and the articulation between evangelicals and conservatism. The results indicated, from the gender and race profile of the elected representatives, that PSL does not contribute to greater diversity in the National Congress compared to other parties, due to its expressive ideological content.

Keywords: Partido Social Liberal; right-wing social movements; conservatism.

Resumen

El presente artículo analiza el ascenso del Partido Social Liberal (PSL) al aparato brasileño de gobierno, bajo la presidencia de Jair Messias Bolsonaro en 2019. Se trata de una investigación descriptiva, con enfoque cuali-cuantitativo, realizada por medio de libros, artículos científicos, documentos y páginas web oficiales. Se examinaron los conceptos de derecha, izquierda y conservadurismo, además del sistema de partidos y su organización sobre la base de bloques ideológicos. Desde la óptica de Coppedge (1997), se discutieron, también, definiciones sobre partidos personalistas y seculares de derecha. Para elucidar el ascenso del PSL, el estudio trata sobre: los movimientos sociales de derecha de 2015; el concepto de cosmovisión; la crisis de representatividad; ideas-fuerza; ideología; y la articulación entre evangélicos y conservadurismo. Los resultados indicaron, a partir del perfil de género y raza de sus representantes electos, que el PSL no contribuye para una mayor diversidad en el Congreso Nacional, en comparación con otros partidos, en virtud de su expresivo contenido ideológico.

Palabras-clave: Partido Social Liberal; movimientos sociales de derecha; conservadurismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Walter do Nascimento Neto, Centro Universitário Internacional - UNINTER

Bacharel em Relações Internacionais, UNINTER; Bacharel em Ciência Política, UNINTER; Especialização em Metodologia de Ensino de Português para Estrangeiros, UNINTER.

Referências

ALMEIDA, Ronaldo de. A onda quebrada - evangélicos e conservadorismo. Cad. Paga, São Paulo, n. 50, e175001, jun. 2017.

ALMEIDA, Ronaldo de. Bolsonaro presidente: conservadorismo, evangelismo e a crise brasileira. Novos estud. CEBRAP [S.l.], 2019, v. 38, n.1, p.185-213, 2019.

BOBBIO, Norberto. Direita e esquerda: razões e significados de uma distinção política. São Paulo: Unesp, 1994.

COPPEDGE, M. The dynamic diversity of Latin American party systems. In: Latin American Studies Association (ed.), Paper prepared for delivery at the 1997 Meeting of the Latin American Studies Association, Guadalajara, Mexico, Latin American Studies Association, pp. 1-21.

DUVERGER, Maurice. Os Partidos Políticos. Trad. Cristiano Monteiro Oiticia. Zahar Editora: Rio de Janeiro, 1970.

GIRARDET, Raoul. Mitos e mitologias políticas. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

GUNTHER, R.; DIAMOND, L. Species of political parties: a new tipology. Party Politics, [S.l.], v. 9, n. 2, p.167-199, 2003.

JACOBI, P.; MONTEIRO, F. Redes sociais. In: FERRARO JUNIOR, L. A. Caminhos e encontros: formação de educadores ambientais e coletivos educacionais. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2007. v. 2.

MARTÍNEZ, V.L. Partidos politicos: un ejercício de clasificación teórica. Perfiles latinoamericanos, n. 33, p. 39-63, 2009.

MESSENBERG, Débora. A direita que saiu do armário: A cosmovisão dos formadores de opinião dos manifestantes de direita brasileiros. Sociedade e Estado, Brasília, v. 32, n. 3, p. 621-648, 2017.

PARTIDO SOCIAL LIBERAL, Estatuto Partido Social Liberal. 2011. Disponível em http://psl.org.br/estatutosNormas/estatuto_PSL_cartorio.pdf. Acesso em: 20 outubro de 2019.

PSOL E PSL têm o maior número de candidatos a deputado federal. Portal da câmara dos deputados, [S.l.], 30 ago. 2018. Disponível em: https://www.camara.leg.br. Acesso em: 20 novembro de 2019.

SARTORI, G. Party types, organization and functions. West European Politics, v. 28, n. 1, p. 5-32, 2005.

SCHERER-WARREN, I. Redes sociais e de movimentos. In: FERRARO JUNIOR, L. A. Caminhos e encontros: formação de educadores ambientais e coletivos educacionais. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2007. v. 2.

SUPREMO TRIBUNAL ELEITORAL. Estatísticas de Eleitorado – Eleitores Filiados. Disponível em: http://www.tse.jus.br/eleitor/estatisticas-de-eleitorado/filiados. Acesso em: 20 outubro 2019.

TELLES, Helcimara de Souza. Corrupção, legitimidade democrática e protestos: o boom da direita na política nacional. Revista Interesse Nacional, São Paulo, ano 8, n. 30, jul./set. 2015.

WEBER, M. Ensaios de sociologia. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002.

Publicado
2021-10-15