Novos agentes e relações internacionais: as relações sino-brasileiras e o ensino do mandarim no Brasil durante o governo Dilma Rousseff

  • Walter do Nascimento Neto Centro Universitário Internacional - UNINTER

Resumo

Esta pesquisa, de caráter bibliográfico, avalia a importância do estudo do mandarim no Brasil durante o governo de Dilma Rousseff, em relação a questões sociais, econômicas e culturais. A metodologia utilizada engloba conceitos construtivistas e de autores relacionados à literatura de negócios internacionais. Por meio do método quantitativo, observou-se baixa exigência de fluência em mandarim da parte de empregadores no mercado brasileiro em relação a idiomas como o francês e o alemão. Ademais, demonstra-se a relevância dos conceitos de atos de fala e distância psíquica para o desenvolvimento das relações sociais e das negociações comerciais internacionais.

Palavras-chave: mandarim; Instituto Confúcio; relações sino-brasileiras.

Abstract

This research, of bibliographical nature, evaluates the importance of Mandarin study in Brazil during Dilma Rousseff's government, in relation to social, economic, and cultural issues. The methodology used encompasses constructivist concepts and authors related to the international business literature. Through the quantitative method, it observed a low demand for fluency in Mandarin by employers in the Brazilian market compared to languages such as French and German. Moreover, it demonstrates the relevance of the concepts of speech acts and psychic distance for social relations and international business negotiations’ development.

Keywords: mandarin; Confucius Institute; Sino-Brazilian relations.

Resumen

Esta investigación, de carácter bibliográfico, evalúa la importancia del estudio del mandarín en Brasil durante el gobierno de Dilma Rousseff, en relación con cuestiones sociales, económicas y culturales. La metodología utilizada incluye conceptos constructivistas y de autores relacionados con la literatura de negocios internacionales. Por medio del método cuantitativo, se pudo observar baja exigencia de fluencia en mandarín de parte de empleadores en el mercado brasileño, si se compara con idiomas como el francés y el alemán. Además, se demuestra la relevancia de los conceptos de actos de habla y distancia psíquica para el desarrollo de relaciones sociales y comerciales internacionales.

Palabras-clave: mandarín; Instituto Confucio; relaciones chino-brasileñas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Walter do Nascimento Neto, Centro Universitário Internacional - UNINTER

Bacharel em Relações Internacionais, UNINTER; Bacharel em Ciência Política, UNINTER; Especialização em Metodologia de Ensino de Português para Estrangeiros, UNINTER. E-mail: walterdonascimentoneto@gmail.com.

Referências

ARENIUS, P. The Psichiq Distance Postulate Revised: From Market Selection to Speed of Market Penetration. Journal of International Entrepreneurship, [s.l.], v. 3, n. 2, p. 115-31, 2005.

BAACK, D. W.; BAACK, D. Psychic distance: a conceptual framework. Proceedings of the Annual Meeting of The Association of Collegiate Marketing Educators, 2006.

BECKERMAN, W. Distance and the pattern of intra-european trade. Review of Economics and Statistics, Cambridge, v. 28, n. 1, 31-40, 1956.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. República Popular da China. Gov.br. [s.l.], [s.d.]. Disponível em: http://antigo.itamaraty.gov.br/pt-BR/ficha-pais/4926-republica-popular-da-china. Acesso em: 14 jul. 2021.

CELAYA, L.; SWIFT, J. S. Pre-departure cultural training: US managers in Mexico. Cross Cultural Management: An International Journal, [s.l.], v. 13, n. 3, p. 230-43, 2006.

CHINA lidera ranking de maiores compradores do Brasil. O Economista, 2 jun. 2016. Disponível em: https://www.oeconomista.com.br/china-lidera-ranking-de-maiores-compradores-do-brasil/. Acesso em: 14 jul. 2021.

DIAS, Reinaldo. Relações Internacionais: introdução ao estudo da sociedade internacional global. São Paulo: Atlas S.A., 2010.

HABAN. Instituto Confúcio para Negócios. Hanban e Instituto Confúcio. FAAP. Disponível em: http://www.faap.br/institutoconfucio/hanban.asp. Acesso em: 14 jul. 2021.

HALLÉN, L.; WIEDERSHEIM-PAUL, F. The evolution of psychic distance in international business relationship. In: HAGG, I.; WIEDERSHEIM-PAUL, F. Between Market and Hierarchy. Uppsala: University of Uppsala, 1984. p. 15-27.

LIMA, Sérgio Eduardo Moreira. Brasil e China: 40 anos de relações diplomáticas — análises e documentos. Brasília: FUNAG, 2016.

LINNEMANN, H. An econometric study of international trade flows. Amsterdam: NorthHolland Pub. Co., 1966.

NOGUEIRA, João Pontes; MESSARI, Nizar. Teoria das relações internacionais: correntes e debates. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

ONUF, Nicholas Greenwood. Constructivism: A User's Manual. In: ONUF, Nicholas. International Relations in a Constructed World. 1. ed. New York: M. E. Sharpe, 1998. p. 58-78.

ONUF, Nicholas Greenwood. World of Our Making: Rules and Rule in Social Theory and International Relations. Columbia: University of South Carolina Press, 1989.

QUAIS OS idiomas mais exigidos pelas empresas brasileiras depois de inglês e espanhol? Época Negócios, São Paulo, 26 mar. 2016. Disponível em: https://epocanegocios.globo.com/Carreira/noticia/2016/03/quais-os-idiomas-mais-exigidos-pelas-empresas-brasileiras-depois-de-ingles-e-espanhol.html. Acesso em: 14 jul. 2021.

RECLAME AQUI. Prêmio Época Reclame Aqui 2016. 2016. Disponível em: https://premio.reclameaqui.com.br/anosanteriores/2016. Acesso em: 14 jul. 2021.

SOUSA, C. M. P. Towards a New Understanding of Export Performance: An Analysis of Values, Perceptions and Strategy. 2003. Thesis (Ph.D. on Marketing) — University College Dublin, Dublin, 2003.

Publicado
2021-10-15