Midiatização política: efeitos das mídias sociais comparados com outros meios de comunicação na campanha presidencial de 2018

  • Roger Felipe Gonçalves dos Santos Centro Universitário Internacional UNINTER

Resumo

Em época de eleições, todo candidato a algum cargo político faz uso de ferramentas para pesquisar, estruturar e realizar sua campanha eleitoral e fazer seu marketing político. A internet trouxe uma variedade delas, principalmente o impulsionamento de conteúdo. Pensando nisto, este trabalho buscou medir o impacto causado, tanto na suas limitações jurídicas — que recentemente tiveram atualizações, através de leis e resoluções da Justiça Eleitoral —, como nas suas vantagens e desvantagens em termos de resultado. Realizou-se uma pesquisa com foco no que foi gasto na campanha presidencial de 2018 em mídias digitais e com os métodos tradicionais de propaganda. Esse levantamento de dados beneficiou-se de informações prestadas pelos candidatos ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Será que o valor investido na campanha eleitoral em plataformas na internet compensa os desafios por ela impostos, como notícias falsas e os robôs por exemplo?

Palavras-chave: midiatização; impulsionamento; campanha.

Abstract

During election time, every candidate for any political office makes use of tools to research, structure, and conduct their election campaign and do their political marketing. The internet has brought a variety of them, mainly content boosting. With this in mind, this work sought to measure the impact caused, both in its legal limitations — which recently had been updated, through laws and resolutions of the Electoral Justice —, as well as in its advantages and disadvantages in terms of result. A survey was conducted focusing on what was spent in the 2018 presidential campaign on digital media and traditional methods of advertising. This data collection benefited from the information provided by candidates to the Superior Electoral Court (TSE). Does the amount invested in the election campaign on internet platforms compensate for the challenges imposed by it, such as fake news and robots, for example?

Keywords: mediatization; boosting; campaign.

Resumen

En época de elecciones, todo candidato a un cargo político cualquiera utiliza herramientas para investigar, estructurar y llevar a cabo su campaña electoral, su marketing político. Internet trajo una gran variedad de ellos, principalmente el posicionamiento de contenido. Con esto en mente, este trabajo buscó medir el impacto causado, tanto en sus limitaciones legales — que se habían actualizado recientemente, a través de leyes y resoluciones de la Justicia Electoral —, como en sus ventajas y desventajas en términos de resultados. Se hizo una investigación centrada en lo que se gastó en la campaña presidencial de 2018 en medios digitales y con los métodos tradicionales de publicidad. Esa recolección de datos se benefició de la información proporcionada por los candidatos al Tribunal Superior Electoral (TSE). ¿La cantidad invertida en la campaña electoral en plataformas de internet supera los retos impuestos por ellas, como las noticias falsas y los robots, por ejemplo?

Palabras-clave: mediatización;posicionamiento de contenido; campaña.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roger Felipe Gonçalves dos Santos, Centro Universitário Internacional UNINTER

Tecnólogo em Comércio Exterior, Centro Universitário Internacional UNINTER. Bacharelando em Ciência Política, Centro Universitário Internacional UNINTER.

Referências

ALMEIDA, Raquel de Q. Fake news: arma potente na batalha de narrativas das eleições 2018. Cienc. Cult, São Paulo, v. 70, n. 2, p. 9-12, abr./jun. 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.21800/2317-66602018000200004. Acesso em: 21 mar. 2020.

ALVES, Paulo. Gráfico animado mostra as redes sociais mais populares de todos os tempos. TechTudo, São Paulo; Rio de Janeiro, 12 jun. 2019. Disponível em: http://www.techtudo.com.br/noticias/2019/06/grafico-animado-mostra-as-redes-sociais-mais-populares-de-todos-os-tempos.ghtml. Acesso em: 01 jul. 2020.

BRAGA, Sérgio; CARLOMAGNO, Márcio. Eleições como de costume? Uma análise longitudinal das mudanças provocadas nas campanhas eleitorais brasileiras pelas tecnologias digitais (1998-2016). Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, v. 1, n. 26, p. 7-62, maio 2018. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rbcp/issue/view/1519. Acesso em: 30 mar. 2020.

BRASIL. Lei nº 9.504, de 30 de setembro de 1997. Estabelece normas para as eleições. Brasília: Presidência da República, 1997. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9504.htm. Acesso em: 16 abr. 2020.

COSTA, Gilberto. Com fim da hegemonia da TV, internet pode ser decisiva nestas eleições. Agência Brasil, Brasília, 16 ago. 2018. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2018-08/com-fim-da-hegemonia-da-tv-internet-pode-ser-decisiva-nestas-eleicoes. Acesso em: 01 abr. 2020.

DEMARTINI, Felipe. Campanha de Trump usou dados de 50 milhões de usuários do Facebook. Canaltech, [s. l.], 19 mar. 2018. Disponível em: https://canaltech.com.br/redes-sociais/campanha-de-trump-usou-dados-de-50-milhoes-de-usuarios-do-facebook-110156/. Acesso em: 05 abr. 2020.

ÉPOCA NEGÓCIOS. Brasil é 2º em ranking de países que passam mais tempo em redes sociais. 2019. Disponível em: https://epocanegocios.globo.com/Tecnologia/noticia/2019/09/brasil-e-2-em-ranking-de-paises-que-passam-mais-tempo-em-redes-sociais.html. Acesso em: 30 mar. 2020.

EVAGELIDIS, José Esteves. Crise na imprensa e o desafio das redes sociais. In: COSTA, Cristina; BLANCO, Patrícia (org.). Liberdade de expressão e campanhas eleitorais: Brasil 2018. 21. ed. São Paulo: ECA-USP, 2019. p. 139.

FACEBOOK FOR BUSINESS. Sobre publicações impulsionadas. c2020. Disponível em: https://www.facebook.com/business/help/240208966080581?id=352109282177656. Acesso em: 25 mar. 2020.

FGV DAPP. Robôs, redes sociais e política: Estudo da FGV/DAPP aponta interferências ilegítimas no debate público na web. 2017. p. 6. Disponível em: http://dapp.fgv.br/robos-redes-sociais-e-politica-estudo-da-fgvdapp-aponta-interferencias-ilegitimas-no-debate-publico-na-web/. Acesso em: 25 mar. 2020.

OLIVEIRA, Mariana. TSE multa campanha de Haddad por impulsionar notícias contra Bolsonaro na internet. G1, Brasília. 2019. Disponível em: https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/03/28/tse-multa-campanha-de-haddad-em-r-176-mil-por-impulsionar-noticias-contra-bolsonaro-na-internet.ghtml. Acesso em: 23 mar. 2020.

PONTES, Felipe. TSE apresenta tempos de rádio e TV de presidenciáveis. Agência Brasil, Brasília, 23 ago. 2018. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2018-08/tse-apresenta-tempos-de-radio-e-tv-de-presidenciaveis. Acesso em: 14 jun. 2020.

TSE. Consulta Pública [...] das Prestações de Contas – Eleições 2018. 2018a. Disponível em: http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2018/prestacao-de-contas-1/consulta-publica-aos-documentos-comprobatorios-das-prestacoes-de-contas-eleicoes-2018-1. Acesso em: 15 mar. 2020.

TSE. Propaganda Eleitoral na Internet. 2018. p. 1-11. 2018 b. Disponível em: http://www.justicaeleitoral.jus.br/arquivos/propaganda-eleitoral-na-internet. Acesso em: 21 mar. 2020.

Publicado
2022-04-12