Políticas ambientais e uma possível mudança na matriz energética da indústria automobilística na Noruega

  • Gabriele Mirian Cerniauskas Correia UNINTER
  • Carlos Simioni

Resumo

Resumo

Atualmente, inúmeros países estão criando políticas de mudança no padrão energético para o setor automobilístico, ao alterar a tradição de veículos movidos por motores de combustão interna para motores elétricos. O objetivo principal deste artigo é analisar o planejamento e incentivo dado às fontes alternativas na indústria automobilística nas últimas 5 décadas. As principais políticas ambientais da Noruega serão examinadas por intermédio de uma abordagem comparativa com outros países. O propósito é elucidar até que ponto os aspectos socioambientais induzem a indústria automobilista a modificar sua matriz energética. O setor automotivo tem um papel significativo em qualquer economia e o entendimento da matriz de transportes é necessário para a elaboração de políticas públicas. Este setor possui alta demanda energética e causa grandes impactos ambientais; além disso, ele é parte importante nas discussões das agendas internacionais. O desenvolvimento de carros elétricos exige uma nova estrutura de mercado, o que traz novos desafios à economia. Será investigada, também, a efetividade das políticas públicas existentes na Noruega e em outras regiões.

Palavras-chave: Indústria automobilística. Energia renovável. Políticas ambientais.

Abstract

Currently, countless countries are creating policies to change the automobile sector's energy standard by shifting the tradition of vehicles powered by internal combustion engines to electric engines. The main objective is to analyze the planning and incentive given to alternative sources in the automobile industry in the last 5 decades. Norway's main environmental policies will be examined using a comparative approach with other countries. The purpose is to clarify the extent to which socio-environmental aspects induce the automobile industry to modify its energy matrix. The automotive sector has a significant role in any economy, and an understanding of the transport matrix is necessary for elaborating public policies. This sector has high energy demand, which causes significant environmental impacts; moreover, it is an essential part of the discussions on international agendas. The development of electric cars demands a new market structure, which brings new challenges to the economy. The effectiveness of public policies in Norway and other regions will also be investigated.

Keywords: Automotive Industry. Renewable energy. Environmental policies.

Resumen

Hoy día, muchos países están generando políticas de cambio en el patrón energético del sector automotor, al sustituir la tradición de vehículos movidos por motores de combustión interna por motores eléctricos. El objetivo principal de este artículo es analizar la planificación y el incentivo dado al uso de fuentes alternativas en la industria automotriz en las últimas 5 décadas. Las principales políticas ambientales de Noruega serán examinadas por medio de comparación con otros países. El propósito es aclarar hasta qué punto los aspectos socioambientales motivan a la industria automotriz a modificar su matriz energética. El sector automotor tiene un rol significativo en cualquier economía y la comprensión de la matriz de transporte es necesaria para la elaboración de políticas públicas. Ese sector tiene alta demanda energética y causa grandes impactos ambientales; además, es parte importante en las agendas internacionales. El desarrollo de carros eléctricos exige nueva estructura de mercado, lo que implica nuevos retos para la economía. Se estudiará, también, la efectividad de las políticas públicas en Noruega y otras regiones.

Palabras-clave: Industria automotriz. Energía renovable. Políticas ambientales.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriele Mirian Cerniauskas Correia, UNINTER
Relações Internacionais

Referências

Anfavea – Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores. Anuário da indústria automobilística brasileira. São Paulo, 2014.

AUTODATA. Competitividade – Mitos e verdades sobre a capacidade da indústria automotiva brasileira para enfrentar um dos maiores desafios de sua história. Ano, 19 Abril de 2011. Edição 260.

BARBIERI, J. C. et all. Inovação e Sustentabilidade: Novos Modelos e Preposições. RAE. São Paulo, v. 7, n. 2, p. 146-154, abr/jun. 2010.

BARBIERI, J. C; SIMANTOB, M. A; (Org.). Organizações Inovadoras Sustentáveis: uma reflexão sobre o futuro das organizações. São Paulo: Atlas, 2007.

CAPINZAIKI, Marilia Romão. Regimes internacionais e governança climática: reflexões teóricas e perspectivas . p. 1-16, jan. 2012. Disponível em: <http://www.unisul.br/wps/wcm/connect/39d2dc96-a890-4231-b26e-13ca5e3aa98a/artigo_gt-relacoes-inter_marilia-romao_vi-spi.pdf?mod=ajperes>.Acesso em: 20 out. 2018.

DAROIT, D.; NASCIMENTO, L. F. A busca da qualidade ambiental como incentivo à produção de inovações. Anais da Enanpad, 2000.

GESEL, Relatório Técnico “Mobilidade elétrica”. Nome da revista, Cidade, v.00, n.11, p. 1-106, jan. 2015. Disponível em: <http://www.gesel.ie.ufrj.br/app/webroot/files/publications/13_reltec4.pdf>.Acesso em: 10 jun. 2018.

GESEL, Relatório Técnico. Novos paradigmas de consumo – o comportamento do consumidor em 2030 e seus impactos para o setor elétrico. Campinas, São Paulo, v.00, n.11, p. 1-55, jan. 2015. Disponível em: <http://www.gesel.ie.ufrj.br/app/webroot/files/publications/11_reltec1.pdf>.Acesso em: 10 jun. 2018.

GIL, Antonio Carlos. “Como elaborar projetos de pesquisa.” 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.”

<https://wp.ufpel.edu.br/ecb/files/2009/09/Tipos-de-Pesquisa.pdf.> Acesso em: 10.jun.2018.

HALL, J.; VREDENBURG, H. The challenges of innovating for sustainable development. Mit Sloan Management Review, p. 61–68, fall 2003.

KEOHANE, Robert e NYE, Joseph. Power and Interdependence. Nova Iorque: Longman, 1989.

IEA – International Energy Agency. Global EV Outlook: Understanding the Electric Vehicle Landscape to 2020. Paris: International Energy Agency, 2013.

MarkLines. Models by Country – Sales. 2014. Acesso em: 16.nov. 2018.

Ministério das Relações Exteriores “Noruega - Economia na Noruega” Abril 2018. Disponível em: <http://oslo.itamaraty.gov.br/pt-br/economia_da_noruega.xml>. Acesso em: 16.nov.2018.

PERES, Luiz Artur Pecorelli. Veículos elétricos: o limiar de uma era de transição. Gruve UERJ, Rio de janeiro, n.11, p. 1, jan. 2012. Disponível em: <http://www.gruve.eng.uerj.br/historia.htm>.Acesso em: 06 jun. 2018.RENNINGS, K. Redefining Innovation – eco-innovation research and the contribution from ecological economics. Ecological Economics, V. 32, 2000, p. (319-332).

RYGGVIK, Helge. Construindo Uma Indústria Nacional de Petróleo Offshore – A Experiência da Noruega. 1. Ed. Oslo, 2014.

SALOMÓN, MÓNICA. Teorias e enfoques das relações internacionais: uma introdução/Mónica Salomón. Curitiba: InterSaberes, 2016.

Swedish Agency for Growth Policy Analysis. Governance for electric vehicle innovation: Lessons from South Korea, India, China and Japan. Östersund: Swedish Agency For Growth Policy Analysis, 2013.

VAZ, Luiz Felipe Hupsel; BARROS, Daniel Chiari; CASTRO, Bernardo Hauch Ribeiro De. Veículos híbridos e elétricos: sugestões de políticas públicas para o segmento. BNDS setorial 41, Cidade, v.00, n.11, p. 295-344, jan. 2012. Disponível em: <https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/bitstream/1408/4284/1/bs%2041_ve%c3%adculos%20h%c3%adbridos%20e%20el%c3%a9tricos_p.pdf>.Acesso em: 16 nov. 2018.

VEÍCULOSELÉCTRICOSPT. História dos veículos elétricos. Disponível em: <http://www.veiculoselectricospt.com/historia-dos-veiculos-electricos/>. Acesso em: 10 abr. 2018.

WATT, Artur Neto. Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. 1. Ed. São Paulo, 2014.

Publicado
2021-02-25