Mobilidade e acesso ao ensino superior: o caso da cidade de Humaitá/AM

  • Natasha Sousa Araujo Lemos
  • Vera Cristina Scheller dos Santos Rocha UNINTER EDUCACIONAL S/A

Resumo

Esta pesquisa ocorreu no âmbito do Projeto Atlas Nacional da Educação Superior —Modalidade EAD: perfil dos discentes de Geociências, durante o Estágio Supervisionado na modalidade Iniciação Científica. Aborda-se a temática da mobilidade e do deslocamento dos discentes em busca de formação superior, analisando o contexto dos alunos vinculados ao Polo de Apoio Presencial (PAP) da Uninter em Humaitá/AM, em um estudo bibliográfico qualitativo. A cidade de Humaitá se localiza no sul do Amazonas, e o PAP Humaitá, além dos estudantes moradores do município, também atende a discentes das cidades vizinhas. Estes, para alcançarem a formação superior, percorrem grandes distâncias por vias rodoviárias não pavimentadas, ou por via fluvial, tornando o deslocamento oneroso e demorado. Tal cenário da mobilidade na Amazônia resulta de políticas governamentais passadas e atuais, e refletem a preocupação em atender interesses externos à Amazônia, em detrimento da população local.

Palavras-chave: organização territorial; mobilidade urbana; iniciação científica.

Abstract

This research occurred under the Projeto Atlas Nacional da Educação Superior —Modalidade EAD: perfil dos discentes de Geociências, during the supervised internship in Scientific Initiation mode. It approaches the theme of students’ mobility and displacement in search of higher education, analyzing the context of students linked to the Polo de Apoio Presencial (PAP) of Uninter in Humaitá/AM, in a qualitative bibliographic study. The city of Humaitá is in the south of Amazonas, and the Humaitá PAP, in addition to students who live in the city, also serves students from neighboring towns. These students, to reach higher education, travel long distances by unpaved roads, or by river, making the displacement expensive and time-consuming. This scenario of mobility in the Amazon is the result of past and current governmental policies, and reflects the concern with serving interests outside the Amazon, to the detriment of the local population.

Keywords: territorial organization; urban mobility; scientific initiation.

Resumen

Esta investigación se produjo en el ámbito del Proyecto Atlas Nacional de la Educación Superior – Modalidad EAD: perfil de los estudiantes de Geociencias, durante las Pasantías Supervisadas en la modalidad Iniciación Científica. Se trata la temática de la movilización y desplazamiento de los estudiantes en busca de educación superior, con el análisis del contexto de aquellos adscritos al Polo de Apoyo Presencial (PAP) de la Uninter en Humaitá/AM, en un estudio bibliográfico cualitativo. La ciudad de Humaitá se ubica en el sur del estado Amazonas, y el PAP Humaitá, además de los estudiantes que viven en el municipio, también atiende a los de ciudades vecinas. Estos, para tener acceso a la educación superior, recorren grandes distancias por carreteras no pavimentadas, o por vía fluvial, lo que hace oneroso y demorado el desplazamiento. Tal escenario de la movilización en la Amazonía resulta de políticas gubernamentales pasadas y actuales, y reflejan la preocupación por atender intereses externos a la Amazonía, en detrimento de la población local.

Palabras-clave: organización del territorio; movilidad urbana; iniciación científica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natasha Sousa Araujo Lemos

Graduanda em Geografia (bacharelado). 

Vera Cristina Scheller dos Santos Rocha, UNINTER EDUCACIONAL S/A

Docente e Tutora da Área de Geociências do Centro Universitário Internacional UNINTER.

Referências

ACSELRAD, H. Sustentabilidade e articulação territorial do desenvolvimento brasileiro. In: II SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE DESENVOLVIMENTO REGIONAL, 2., 2004, Santa Cruz. Anais... Santa Cruz do Sul, 28 set./01 out. 2004.

BARCELLOS, C.; MONKEN, M. Uma outra globalização: resenha sobre o documentário Encontro com Milton Santos ou o mundo global visto do lado de cá. RECIIS, Rio de Janeiro, v. 4, n. 4, p. 124-126, 2010. DOI https://doi.org/10.3395/reciis.v4i4.655

BECKER, B. K. Construindo a política brasileira de meio ambiente para a Amazônia: atores, estratégias e práticas. In: KHOLHEPP, Gerd (coord.). Brasil: modernização e globalização. Frankfurt: Biblioteca Iberoamericana-Vervuert, 2001.

BECKER, B. K. Geopolítica da Amazônia. Estudos Avançados, São Paulo, v. 19, n. 53, p. 71-86, 2005. DOI http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142005000100005.

BRASIL. Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Educação Superior Cadastro — e-MEC. Ministério da Educação. 2021. Disponível em: https://emec.mec.gov.br/emec/nova#simples. Acesso em: 30 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 9394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 27833, 23 dez. 1996. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1996/lei-9394-20-dezembro-1996-362578-publicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em: 30 jun. 2020.

BRASIL. Lei nº 11.788 de 25 de setembro de 2008. Dispõe sobre o estágio de estudantes; altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996; revoga as Leis nº 6.494, de 7 de dezembro de 1977, e 8.859, de 23 de março de 1994, o parágrafo único do art. 82 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e o art. 6º da Medida Provisória nº 2.164-41, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 3, 26 set. 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11788.htm. Acesso em: 30 jun. 2020.

BRITO, R. F. A.; DEUS, J. B. A interferência da gestão municipal na produção do espaço urbano. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 29, n. 1, p. 107-120, 2009. DOI https://doi.org/10.5216/bgg.v29i1.4955

CERQUEIRA-NETO, S. P. G. Epistemologias do Sul e a nova geografia: por uma geografia popular no encontro entre Milton Santos e Boaventura de Sousa Santos. Cronos, Natal, v. 18, n. 1, p. 68-88, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/cronos/article/view/13957/pdf. Acesso em: 30 jun. 2021.

CPRM. Serviço Geológico do Brasil. Ministério de Minas e Energia. Geodiversidade do Estado do Amazonas. Manaus: CPRM, 2010.

CUNHA, R. P. C. A influência da mobilidade urbana para a real experiencia do espaço urbano de Teresina. In: XVI SIMPURB – SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOGRAFIA URBANA, 16., 2019, Vitória. Anais... UFES: Vitória, 14-17 nov. 2019.

GARZON, L. F. N. Grandes projetos de infraestrutura de “segunda geração” e a expansão da fronteira elétrica na Amazônia. pp. 11-39. In: HERRERA, J. A.; CAVALCANTE, M. M. A. (org.). Hidrelétricas na Amazônia: implicações territoriais nas áreas de influência das Usinas nos rios Xingu (Pará) e Madeira (Rondônia). Belém: GAPTA/UFPA, 2017.

GOULART, S. Uma Abordagem ao Desenvolvimento Local Inspirada em Celso Furtado e Milton Santos. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 4, n. 3, p. 1-15, 2006. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/cadernosebape/article/view/7399. Acesso em: 30 jun. 2021.

HUMAITÁ. Prefeitura Municipal de Humaitá. Lei Complementar n.º 001, de 02 de outubro de 2006. Institui o Plano Diretor de Município de Humaita/AM. Humaitá: PMH, 2006.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE Cidades: panorama município de Humaitá – AM. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. 2021. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/am/humaita/panorama. Acesso em: 30 jun. 2021.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Sinopse Estatística da Educação Superior 2019. Brasília: INEP, 2020. Disponível em: http://inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 30 jun. 2021.

JACOBS, W. et al. Transporte, fluxo de mercadoria e desenvolvimento econômico urbano na Amazônia: o caso de Belém e Manaus. Caderno Metropolitano, São Paulo, v. 15, n. 30, p. 389-410, 2013. DOI https://doi.org/10.1590/2236-9996.2013-3002

LACERDA, S. M. Evolução recente do transporte hidroviário de cargas. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 20, p. 253-280, set. 2004. Disponível em: https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/handle/1408/2434. Acesso em: 30 jun. 2021.

MACHADO, T. C. E. et al. Avaliação do uso e ocupação das áreas de preservação permanente nos anos de 2008 e 2013 na zona urbana de Humaitá, Amazonas. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, v. 15, n. 2, p. 744-750, 2017. DOI http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v15i2.3017

MONDARDO, M. L. Meandros na produção do espaço urbano: mobilidade, acessibilidade e exclusão social. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 29, n. 1, p. 57-72, 2009. DOI https://doi.org/10.5216/bgg.v29i1.5765

POMPERMAYER, F. M.; CAMPOS NETO, C. A. S.; DE PAULA, J. M. P. Hidrovias no Brasil: perspectivas históricas, custos e institucionalidades. In: TEXTO para discussão n.º 1931. Rio de Janeiro: IPEA, 2014.

PORTO-GONÇALVES, C. W. Amazônia, Amazônias. 3. ed. 1. reimpr. São Paulo: Contexto, 2019.

ROSS, J. L. S. Geografia do Brasil. 6. ed. 2. reimpr. São Paulo: Edusp, 2014.

SALATA, A. Ensino superior no Brasil das últimas décadas: redução nas desigualdades de acesso? Tempo Social, São Paulo, v. 30, n. 2, p. 219-253, 2018. DOI https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2018.125482

SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Edusp, 2006.

SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único a consciência universal. São Paulo: Record, 2000.

SAQUET, M. A.; SILVA, S. S. Milton Santos: concepções de geografia, espaço e território. Geo UERJ, Rio de Janeiro, ano 10, v. 2, n. 18, p. 24-42, 2008. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/geouerj/article/view/1389/1179. Acesso em: 30 jun. 2021.

SCHOR, T.; MARINHO, T. P. Ciclos econômicos e periodização da rede urbana no Amazonas-Brasil as cidades Parintins e Itacoatiara de 1655 a 2010. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, São Paulo, n. 56, p. 229-258, jun. 2013. DOI http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i56p229-258

SERPA, A. Milton Santos e a paisagem: parâmetros para a construção de uma crítica da paisagem contemporânea. Paisagem Ambiente: ensaios, São Paulo, v. 27, p. 131-138, 2010. DOI https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i27p131-138

SILVA, J. S. A expansão do ensino superior na Amazônia brasileira: um estudo comparativo entre o governo FHC e o ciclo petista. Temáticas, Campinas, v. 27, n. 53, p. 139-184, 2019. DOI https://doi.org/10.20396/tematicas.v27i53.11605

SOARES, C. G. S. et al. A Interiorização de Ensino Superior no Amazonas. Revista de Direitos Humanos & Sociedade, Criciúma, v. 3, n. 1, p. 171-187, 2020. Disponível em: http://periodicos.unesc.net/dirhumanos/article/view/5891/5505. Acesso em: 30 jun. 2021.

SOUSA, R. S.; ARAUJO, L. M. N. Análise geoambiental preliminar da Hidrovia do rio Madeira, Amazônia, Brasil. Serviço Geológico do Brasil (CPRM). 2001. Disponível http://rigeo.cprm.gov.br/bitstream/doc/14617/1/rli_hidrovia_Madeira_6.pdf. Acesso em: 30 jun. 2021.

SUGUIO, K. Geologia do Quaternário e mudanças ambientais. São Paulo: Oficina de Textos, 2010.

UNINTER. Centro Universitário Internacional. Atlas Nacional da Educação Superior – Modalidade EAD: Perfil dos discentes de Geociências. Curitiba: UNINTER, 2020.

UNINTER. Centro Universitário Internacional. Manual de Estágio Supervisionado Observação e Prática: Pesquisa Aplicada em Geografia. Curitiba: UNINTER, 2019.

Publicado
2021-07-20