Atividade física e sua relação com a obesidade infantil: uma revisão bibliográfica

  • Carlos Alberto Holdefer Uninter Educional
  • Fabiana Barcella
  • Grasiele Almeida

Resumo

Nos últimos anos a obesidade infantil vem gradativamente aumentando e pode-se constatar um grande percentual de crianças obesas. No Brasil, os índices de sobrepeso e obesidade refletem os padrões mundiais. Os dados são tão alarmantes, que a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, em 2025, o número de crianças obesas no planeta chegue a 75 milhões. O consumo excessivo de açúcar, gorduras saturadas, processados e ultraprocessados, a publicidade de alimentos não saudáveis dirigida ao público infanto-juvenil e a inatividade física, são alguns dos fatores que contribuem para o aumento do número de obesos. Este artigo teve como objetivo investigar a prevalência da obesidade infantil, identificar os possíveis fatores etiológicos, verificar quais as intervenções que se destacaram nesta última década e como a atividade física pode ajudar de maneira a diminuir e/ou prevenir a obesidade em crianças. Teve como metodologia o levantamento bibliográfico, que buscou fontes ligadas à obesidade infantil, à sua prevenção, à importância da atividade física e da família no processo de manutenção e possível cura desse problema de saúde pública. Os resultados apontam para uma preocupação de profissionais ligados à saúde e educação, mostram a importância da atividade física no combate a comorbidades ligadas ao sedentarismo e como a comunidade e o seio familiar são importantes nesse processo, que pode comprometer o desenvolvimento saudável dos indivíduos.

Palavras-chave: atividade física; qualidade de vida na infância; obesidade; criança.

Abstract

In recent years, childhood obesity has been gradually increasing and a large percentage of obese children can be seen. In Brazil, the rates of overweight and obesity reflect global patterns. The data are so alarming that the World Health Organization (WHO) estimates that, in 2025, the number of obese children on the planet will reach 75 million. Excessive consumption of sugar, saturated, processed, and ultra-processed fats, advertising of unhealthy foods for children and adolescents, and physical inactivity are some of the factors that contribute to the increase in the number of obese people. This article aimed to investigate the prevalence of childhood obesity, identify possible etiological factors, verify which interventions stood out in the last decade and how physical activity can help to reduce and/or prevent obesity in children. The methodology was the bibliographic survey, which sought sources related to childhood obesity, its prevention, the importance of physical activity, and the family in the process of maintenance and possible cure of this public health problem. The results point to a concern of health and education professionals, showing the importance of physical activity in combating comorbidities related to sedentary lifestyle and how the community and the family are important in this process, which can compromise the healthy development of individuals.

Keywords: physical activity; quality of life in childhood; obesity; child.

Resumen

En los últimos años, la obesidad infantil ha venido aumentando gradualmente y se puede constatar un gran porcentaje de niños obesos. En Brasil, los índices de sobrepeso y obesidad reflejan los patrones mundiales. Los datos son tan alarmantes, que la Organización Mundial para la Salud (OMS) estima que, en 2025, el número de niños obesos en el planeta llegue a 75 millones. El consumo excesivo de azúcar, grasas saturadas, procesados y ultraprocesados, la publicidad de alimentos no saludables dirigida al público infantojuvenil y la inactividad física, son algunos de los factores que contribuyen para el aumento del número de obesos. Este artículo tuvo como objetivo investigar el predominio de la obesidad infantil, identificar los posibles factores etiológicos, verificar las intervenciones que se han destacado en la última década y cómo la actividad física puede ayudar a disminuir y/o prevenir la obesidad en niños. Tuvo como metodología la revisión bibliográfica, que buscó trabajos sobre obesidad infantil, su prevención, la importancia de la actividad física y de la familia en el proceso de mantenimiento y posible cura de ese problema de salud pública. Los resultados apuntan para la preocupación de profesionales de la salud y educación, muestran la importancia de la actividad física en el combate a enfermedades vinculadas al sedentarismo y cómo la comunidad y el grupo familiar son importantes en ese proceso, que puede comprometer el desarrollo saludable de los individuos.

Palabras-clave: actividad física; calidad de vida en la infancia; obesidad; niño.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Alberto Holdefer, Uninter Educional

Especialista em gestão de projetos em eventos. Professor em Centro Universitário Internacional Uninter.

Fabiana Barcella

Acadêmica do curso de Bacharelado em Educação Física. Centro Universitário Internacional Uninter. 

Referências

ALMEIDA AMARAL, Ana Paula de; PIMENTA, Alexandre Palma. Perfil epidemiológico da obesidade em crianças: relação entre televisão, atividade física e obesidade. Rev. Bras. Ciên. e Mov., Brasília, v. 9, n. 4, p. 19-24, out. 2001.

ALVES, João Guilherme Bezerra. Atividade física em crianças: promovendo a saúde do adulto. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, Recife – PE, v. 3, n. 1, 2003.

ANTUNES, Rogéria Messias; BERTOLO, Mayara. Treinamento funcional e obesidade infantil: possibilidades de práticas e seus benefícios. Revista Corpus Hippocraticum, São José do Rio Preto, v. 1, n. 1, 2017.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente, e dá outras providências. Brasília: Câmara dos deputados, 1990.Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1990/lei-8069-13-julho-1990-372211-publicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em: 28 maio 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Departamento de Promoção da Saúde. Guia de atividade física para a população brasileira [recurso eletrônico]. Brasília: Ministério da Saúde, 2021.

BRIOSCHI, Fernanda Rodrigues. Fatores ambientais na obesidade infantil. Conhecimento em Destaque, Serra – ES, v. 7, n. 18, 2020.

DOS ANJOS CALVETE, Suzete. A relação entre alteração postural e lesões esportivas em crianças e adolescentes obesos. Motriz, Rio Claro, v. 10, n. 2, p. 67-72, maio/ago. 2004.

EINSFELD, Eloisa et al. Associação entre obesidade infantil e depressão. Anais de Medicina, Joaçaba – SC, v. 1, p. 27-28, 2018.

FERNANDES, Rômulo Araújo; SPONTON, Carlos Henrique Grossi; ZANESCO, Angelina. Atividade física na infância e adolescência promove efeitos benéficos na saúde de adultos. Rev SOCERJ, Rio de Janeiro, v. 22, n. 6, p. 365-72, 2009.

GURMINI, Jocemara. Alterações ortopédicas. In: WEFFORT, V. R. S. (org.). Obesidade na infância e adolescência. Manual de orientação. 3. ed. São Paulo: Sociedade Brasileira de Pediatria – Departamento de Nutrologia, 2019. p. 69-72.

KITAMURA, Jenifer Malgarin et al. Sintomas depressivos, indicadores emocionais e nível de maturidade mental em crianças com obesidade. Psicologia. pt, Porto – Pt, 30 mar. 2013.

LAZZOLI, José Kawzoe et al. Atividade física e saúde na infância e adolescência Rev. Bras. Med. Esporte, São Paulo, v. 4, n. 4, p. 107-109, jul./ago. 1998.

LOPES, Patrícia Carriel Silvério; PRADO, Sônia Regina Leite de Almeida; COLOMBO, Patrícia. Fatores de risco associados à obesidade e sobrepeso em crianças em idade escolar. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 63, n. 1, p. 73-78, 2010.

LUIZ, Andreia Mara Ângelo Gonçalves et al. Depressão, ansiedade e competência social em crianças obesas. Estudos de Psicologia, Natal, v. 10, p. 35-39, 2005.

MACIEL, M. G. Atividade física e funcionalidade do idoso. Motriz: Revista de Educação Física, São Paulo, v. 16, n. 4, p. 1024-1032, 2010.

MANTOVANI, Rafael Machado et al. Obesidade na infância e adolescência. Revista Médica de Minas Gerais, Belo Horizonte, v. 18, 2008.

MATSUDO, Victor Keihan Rodrigues; MATSUDO, Sandra Marcela Mahecha. Atividade física no tratamento da obesidade. Einstein, São Paulo, v. 4, supl. 1, p. S29-S43, 2006.

MELLO, Elza Daniel de. Diagnóstico das principais comorbidades. In: WEFFORT, V. R. S. (org.). Obesidade na infância e adolescência. Manual de orientação. 3. ed. São Paulo: Sociedade Brasileira de Pediatria – Departamento de Nutrologia, 2019. p. 46-53.

MELLO, Elza Daniel de; LUFT, Vivian; MEYER, Flávia. Obesidade infantil: como podemos ser eficazes? J. Pediatr., Rio de Janeiro, v. 80, n. 3, jun. 2004.

MENDES, Juliana de Oliveira Hassel; BASTOS, Rita de Cássia; MORAES, Priscilla Machado. Características psicológicas e relações familiares na obesidade infantil: uma revisão sistemática. Revista da SBPH, Belo Horizonte – MG, v. 22, n. 2, p. 228-247, 2019.

MEYER, Flávia. Avaliação da saúde e aptidão física para recomendação de exercício em pediatria. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 5, n. 1, fev. 1999.

MORAES, J. M.; CAREGNATO, R. C. A.; SCHNEIDER, D. S. Qualidade de vida antes e após a cirurgia bariátrica. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 27, p. 157-164, 2014.

MOURA, Neila Camargo de. Influência da mídia no comportamento alimentar de crianças e adolescentes. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas – SP, v. 17, n. 1, p. 113-122, 2010.

RAMOS-SILVA, Valmin; SILVA, Janine Pereira da; MARANHÃO, Hélcio de Souza. Bases conceituais da obesidade na infância. In: WEFFORT, V. R. S. (org.). Obesidade na infância e adolescência. Manual de orientação. 3. ed. São Paulo: Sociedade Brasileira de Pediatria – Departamento de Nutrologia, 2019. p. 13-16.

RAMOS-SILVA, Valmin; SILVA, Janine Pereira da; MARANHÃO, Hélcio de Souza. Epidemiologia da obesidade na infância e adolescência. In: WEFFORT, V. R. S. (org.). Obesidade na infância e adolescência. Manual de orientação. 3. ed. São Paulo: Sociedade Brasileira de Pediatria – Departamento de Nutrologia, 2019b. p. 17-21.

RICCO, Rafaela Cristina; LAMOUNIER, Joel Alves; DAMASCENO, Vinícius Oliveira; GONÇALVES, Reginaldo. Atividade física visando emagrecimento. In: WEFFORT, V. R. S. (org.). Obesidade na infância e adolescência. Manual de orientação. 3. ed. São Paulo: Sociedade Brasileira de Pediatria – Departamento de Nutrologia, 2019. p. 132-144.

RINALDI, Ana Elisa M. et al. Contribuições das práticas alimentares e inatividade física para o excesso de peso infantil. Revista Paulista de Pediatria, São Paulo, v. 26, n. 3, 2008.

ROCHA, Marília et al. Aspectos psicossociais da obesidade na infância e adolescência. Psicologia, Saúde e Doenças, Lisboa – Pt, v. 18, n. 3, p. 712-723, 2017.

ROMOALDO, Lorena Letícia de Souza; AGUILAR, Jéssica de Assis Santana. A influência da pandemia por COVID-19 no aumento da obesidade infantil: uma revisão narrativa. Trabalho de Conclusão de Curso. Repositório Universitário da Ânima (RUNA), Contagem – MG, 17 dez. 2021.

SÁ-SILVA, Jackson Ronie; ALMEIDA, Cristovão Domingos de; GUINDANI, Joel Felipe. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, Rio Grande – RS, v. 1, n. 1, p. 1-15, 2009.

SILVA, Giselia Alves Pontes da; BALABAN, Geni; MOTTA, Maria Eugênia F. de A. Prevalência de sobrepeso e obesidade em crianças e adolescentes de diferentes condições socioeconômicas. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, Recife – PE, v. 5, p. 53-59, 2005.

SOARES, Ludmila D.; PETROSKI, Edio L. Prevalência, fatores etiológicos e tratamento da obesidade infantil. RevBrasCineantropom Desempenho Hum, Florianópolis – SC, v. 5, n. 1, p. 63-74, 2003.

SOARES, Sandro Vieira; PICOLLI, Icaro Roberto Azevedo; CASAGRANDE, Jacir Leonir. Pesquisa bibliográfica, pesquisa bibliométrica, artigo de revisão e ensaio teórico em administração e contabilidade. Administração: ensino e pesquisa, Rio de Janeiro, v. 19, n. 2, p. 308-339, 2018.

TAKEDA, Osvaldo Hakio; STEFANELLI, Maguida Costa. Atividade física, saúde mental e reabilitação psicossocial. Revista Mineira de Enfermagem, Belo Horizonte – MG, v. 10, n. 2, p. 171-175, 2006.

WEFFORT, V. R. S. (org.). Obesidade na Infância e Adolescência. Manual de Orientação. 3. ed. São Paulo: Sociedade Brasileira de Pediatria – Departamento de Nutrologia, 2019.

WILHELM, Fernanda Ax; LIMA, Jenniffer Haranda Colombo Antunes de; SCHIRMER, Keyla Franciani. Obesidade infantil e a família: educadores emocionais e nutricionais dos filhos. Psicologia argumento, Curitiba, v. 25, n. 49, p. 143-154, 2007.

Publicado
2022-03-10